Pular para o conteúdo principal

BOLSONARO VEM A FOZ E LANÇA PROJETO DE REVITALIZAÇÃO DO HVDC DE FURNAS - VEJA COMO ISTO VAI IMPACTAR O DESENVOLVIMENTO DO BRASIL E ASSISTA CERIMÔNIA NA ÍNTEGRA

Investimento de Itaipu em Furnas fortalece segurança energética do Brasil
O presidente Jair Bolsonaro lançou oficialmente, nesta quinta-feira (25), em Foz do Iguaçu (PR), o projeto de revitalização do sistema de Corrente Contínua de Alta Tensão (HVDC) de Furnas, com aportes de R$ 1 bilhão da margem brasileira de Itaipu. O sistema é responsável pela transmissão de parte da energia produzida pela hidrelétrica binacional e que abastece os principais centros consumidores do País, como Rio de Janeiro e São Paulo.

Portas abertas: Lideranças de Foz são recebidas pelo Presidente Jair Messias Bolsonaro. 
Foto: Kiko Seirich PTI/Itaipu Binacional

 Na mesma cerimônia, o Minas e Energia, Bento Albuquerque, assinou a portaria que aprova o Plano Decenal de Expansão de Energia (PDE-2030), um documento publicado anualmente pelo Ministério de Minas e Energia com as perspectivas de expansão do setor de energia no horizonte de dez anos.

O termo de compromisso foi assinado pelo diretor-geral brasileiro de Itaipu, general Joaquim Silva e Luna, e pelo diretor-presidente de Furnas, Pedro Eduardo Fernandes Brito. 
Foto: Secretaria de Imprensa da Presidência da República

A solenidade ocorreu na subestação Foz do Iguaçu de Furnas e reuniu ainda o ministro-chefe do Gabinete de Segurança Institucional (GSI) da Presidência da República, general Augusto Heleno; o governador do Paraná, Carlos Massa Ratinho Junior; o presidente da Eletrobras, Wilson Ferreira Junior; o prefeito de Foz do Iguaçu, Chico Brasileiro; e o general João Francisco Ferreira, indicado para assumir o cargo de diretor-geral brasileiro de Itaipu - entre outras autoridades.

Foto: Kiko Seirich PTI/Itaipu Binacional

O anúncio oficial ocorre às vésperas do aniversário de Furnas, que completa 64 anos no próximo domingo (28). Também foi o primeiro encontro pessoal entre o presidente e Silva e Luna após a indicação do general por Bolsonaro a presidência e o Conselho de Administração da Petrobras, no último dia 19; a quinta viagem do presidente a Foz do Iguaçu desde que tomou posse, em janeiro de 2019; e a oitava ao Paraná. Sete delas têm correlação obras viabilizadas pela hidrelétrica.

Cerimônia na íntegra


O presidente Jair Bolsonaro lembrou da visão de futuro dos governos militares que construíram Itaipu e que seu governo tem a mesma preocupação, como demonstra o investimento na revitalização do sistema HDVC. 

“O meu governo prima pela previsibilidade, pela capacidade de se antecipar a problemas e ter visão de futuro. E este projeto é resultado da liberdade de iniciativa que vocês (gestores da Itaipu e Furnas) têm”, disse o presidente, que elogiou a gestão do general Silva e Luna à frente da Itaipu. “É uma gestão ímpar, que colocou a binacional no rumo da prosperidade, colaborando com o governo estadual e com mais de 30 prefeituras, com uma visão social”, completou.
Foto: Rubens Fraulini/Itaipu Binacional

Bolsonaro também agradeceu a Silva e Luna por ter aceitado o convite para presidir a Petrobras e afirmou que “uma estatal, seja qual for, tem que ter a sua visão social”. 

Foto: Kiko Seirich PTI/Itaipu Binacional

“Não podemos admitir um presidente de uma estatal que não tenha esse olhar", concluiu.

O ministro Bento Albuquerque destacou que o governo Bolsonaro está realizando obras de grande importância para o País, algumas paradas ou que nem chegaram a sair do papel. E que, como no caso desta revitalização, não representarão “nem um centavo a mais para o consumidor”. 

Foto: Rubens Fraulini/Itaipu Binacional

“Nos próximos 10 anos, o Paraná e o Brasil receberão investimentos de R$ 2,7 trilhões no setor de energia, dos quais R$ 2,3 trilhões para petróleo, gás natural e biocombustíveis e R$ 365 bilhões para a geração centralizada e distribuída", garantiu o ministro, reforçando que o Brasil seguirá com uma das matrizes energéticas mais limpas do mundo, o que motivou a ONU a escolher o País para liderar o diálogo internacional de alto nível para a transição energética para uma economia de baixo carbono.

Foto: Secretaria de Imprensa da Presidência da República

O governador Ratinho Junior agradeceu os investimentos e parcerias com o governo federal, ressaltando o peso do Paraná para o setor elétrico nacional (o Estado responde por 18% da geração no País) e as realizações da gestão Silva e Luna na Itaipu. “Nunca a Itaipu investiu tanto para o desenvolvimento estratégico do Paraná. Nesse curto espaço de tempo, deixou uma marca histórica.”

Segurança energética
O convênio para a atualização do sistema HVDC de Furnas já foi assinado e o primeiro repasse, de R$ 161 milhões, feito no final de dezembro. As obras têm duração prevista de 60 meses. “A modernização é importante e necessária porque dará maior robustez e segurança ao sistema elétrico nacional”, defendeu o general Silva e Luna.

O presidente de Furnas, Pedro Eduardo Fernandes Brito, destacou a importância desse investimento em um momento histórico para a empresa.

Foto: Kiko Seirich PTI/Itaipu Binacional

 “Esta subestação está chegando a 36 anos e, desde sua inauguração, vem cumprindo com eficiência, qualidade e responsabilidade essa complexa missão que é escoar a energia produzida por Itaipu" afirmou.

“Nos próximos cinco anos, concluiremos essa obra que ampliará a confiabilidade do sistema elétrico nacional e representará um novo marco para a engenharia brasileira. Esse modelo de parceria iniciado pelo general Silva e Luna tem o potencial de transformar o Sul do Brasil num grande polo de inovação. Então, por que não transformar esta região em uma espécie de Vale do Silício da Energia", completou.


Investimento estratégico
O sistema HVDC tem aproximadamente 800 km e conecta as subestações de Foz do Iguaçu e Ibiúna (SP). Ele é responsável pela transmissão da energia produzida pela Itaipu em 50Hz (frequência utilizada no Paraguai) e que não é consumida pelo país vizinho, sócio no empreendimento binacional. Em Ibiúna, a energia é convertida para corrente alternada de 60Hz (padrão brasileiro).

Será a primeira reforma de grande porte deste sistema, que começou a operar há 36 anos. Por ele, já passaram 1,18 bilhão de MWh (megawatts/hora) dos mais de 2,7 bilhões MWh produzidos pela Itaipu desde 1984, quando começou a produzir energia (43% do total).

O HVDC é considerado estratégico tanto para os paraguaios (porque garante acesso ao mercado brasileiro) como para o Brasil, por permitir que a energia de Itaipu chegue aos principais centros consumidores do País. A subestação de Ibiúna está localizada a menos de 100 km do centro da cidade de São Paulo.

Foto: Rubens Fraulini/Itaipu Binacional

Energia excedente
Conforme o Tratado de Itaipu, o Paraguai tem direito a 50% da produção da usina binacional. Entretanto, com 15% já abastece cerca de 90% do seu consumo interno atual. O excedente de produção não utilizado pelo país vizinho é contratado pelo Brasil e escoado pelo HVDC. Nos últimos cinco anos, a energia produzida por Itaipu (em 50Hz e 60Hz) supriu em torno de 14% de toda a demanda brasileira.

Obras estruturantes
O investimento em Furnas se soma aos mais de R$ 1,5 bilhão aplicados pela Itaipu em uma série de obras de infraestrutura, conforme diretriz do governo Jair Bolsonaro. Entre elas, estão a nova ponte internacional entre o Brasil e o Paraguai; a ampliação da pista de pouso e decolagens do Aeroporto Internacional do Iguaçu; e a duplicação da BR-469, a Rodovia das Cataratas, principal corredor turístico da região.

Outro investimento anunciado no início de fevereiro é a revitalização da BR-487, a Estrada Boiadeira, uma das principais ligações do Paraná com o Mato Grosso do Sul. “São obras estruturantes, que abrem frentes de trabalho e movimentam a economia, num momento tão importante de retomada do crescimento. E que ficarão como legado para as futuras gerações”, afirma Silva e Luna.

Foto: Secretaria de Imprensa da Presidência da República

Plano Decenal
O Plano Decenal de Expansão de Energia (PDE-2030), lançado nesta quinta-feira pelo MME, é considerado uma das principais ferramentas de planejamento das políticas públicas para o setor de energia no Brasil. O plano incorpora uma visão integrada da expansão da demanda e da oferta de recursos energéticos para um horizonte de dez anos, sinalizando e orientando decisões dos agentes no mercado de energia. O objetivo é assegurar a expansão equilibrada da oferta energética, com sustentabilidade técnica, econômica e socioambiental.

Postagens mais visitadas deste blog

COLUNA SOCIAL Foz em Destaque - Edição CLXXI

  DESTAQUE DO DIA

Amigas de Das Graças promovem rifa de jóias em apoio ao trabalho e memória da colunista social e fotógrafa

Tudo começou ainda durante a pandemia. Com os trabalhos do filho Marco Antonio pautados em eventos e turismo, as dificuldades claro bateram na porta, e além da venda de um dos automóveis que a família tinha, algo mais precisava ser feito para quitar os compromissos e dívidas inerentes de um ano praticamente sem trabalho, em casa, Das Graças e seu filho Marco. Este grupo de amigas conta que mesmo em vida, Das Graças pensava em usar as joias para ajudar nas despesas domésticas e de saúde. No entanto, a saúde da colunista se agravou e sobreveio o internamento e a cirurgia.  Pensando em se desfazer de alguma forma de peças de joias que tinha enquanto presente nas festas de nossa sociedade, Das Graças acionou sua estimada amiga, Sílvia Rodrigues, para que a ajudasse na empreitada, o que foi de pronto atendida.  As joias -  As três peças que serão rifadas, eram relíquias da família  que ela ostentava nas grandes festas da sociedade que participava, ao longo da gloriosa carreira de colunismo

COLUNA SOCIAL Foz em Destaque - Edição CLXXVIII

DESTAQUE DO DIA Aniversários