Pular para o conteúdo principal

ITAIPU na luta contra a COVID-19 - Últimas noticias

Investimentos de Itaipu para enfrentar a covid-19 passam de R$ 22 milhões
Rol de medidas inclui reestruturação de hospitais, aquisição de equipamentos e apoio a entidades de ajuda humanitária. 
Foto: Rubens Fraulini / Itaipu Binacional
Os investimentos da margem brasileira da Itaipu no enfrentamento ao covid-19 já passam de R$ 22 milhões. O rol de ações é amplo e variado, incluindo convênios e medidas de auxílio eventual. Entre essas ações, a empresa liberou R$ 15 milhões para a reestruturação do Hospital Ministro Costa Cavalcanti (HMCC), que é mantido pela Itaipu, para a compra de equipamentos e insumos.
Foto: Rubens Fraulini / Itaipu Binacional
Outras unidades hospitalares da 9º Regional de Saúde do Estado do Paraná também são beneficiadas por estes recursos, com o fornecimento de equipamentos de proteção individual (EPIs), álcool em gel 70%, materiais, medicamentos, camas e diversos outros materiais.
Para o Hospital Municipal Germano Lauck, em Foz do Iguaçu, cidade-sede da usina, a empresa vai encaminhar 15 aparelhos de ventilação mecânica, monitores e camas, além da estruturação de um leito de tratamento avançado no Hospital e Maternidade Nossa Senhora da Luz, em Medianeira, e mais um respirador mecânico para o Samu de Foz do Iguaçu.
A habilitação do Centro de Medicina Tropical do HMCC junto ao Laboratório Central do Estado do Paraná (Lacen) diminui o tempo para o resultado dos testes de covid-19. Antes disso, era necessário enviar as amostras para Curitiba. A Itaipu também doou 500 testes à Prefeitura de Foz do Iguaçu, que estão sendo usados em cinco unidades básicas de saúde da cidade.
Em decorrência da pandemia, a Itaipu aumentou o valor do Fundo de Auxílio Eventual para R$ 2,7 milhões. O público-alvo são entidades de ajuda humanitária. Itaipu controla a prestação de contas a partir da execução de um plano de trabalho, com uma série de critérios que são auditados internamente. Até o momento, 14 instituições fizeram contato para tirar dúvidas e dar início ao processo.
Foto: Itaipu Binacional
Uma delas, que já teve o apoio aprovado, é o Lar dos Velhinhos de Foz do Iguaçu. A entidade vai receber, por meio do fundo, a soma de R$ 174.984,45, para a aquisição de materiais de limpeza, alimentação, higiene e segurança.
Foto: Itaipu Binacional
O apoio vai garantir a manutenção do atendimento durante a pandemia do novo coronavírus. Também foi beneficiada pelo fundo a entidade Anjos da Madrugada.
Com o governo do Estado, a Itaipu fez um convênio de R$ 4 milhões para a contratação de 733 bolsistas. Todos da área de assistência à saúde, para atividades de apoios às regionais do Estado.

Foto: Itaipu Binacional
Para o coordenador do Grupo Estratégico da Covid-19 da Itaipu, Jorge Aureo, assessor especial do diretor-geral brasileiro de Itaipu, general Joaquim Silva e Luna, a Itaipu não poderia ficar indiferente ao enfrentamento da doença.  “Nossa missão é também cuidar da nossa gente por meio de ações efetivas e de solidariedade.”

Itaipu e prefeitura de Foz participam de força-tarefa conjunta para trazer brasileiros do Paraguai
Cerca de 60 brasileiros que estavam em Assunção atravessaram a Ponte da Amizade na tarde desta quinta-feira (23). A binacional remanejou o transporte interno para auxiliar a operação com o fornecimento de cinco ônibus.

Brasileiros residentes no Paraguai, que aguardavam uma oportunidade de retorno ao País depois do fechamento das fronteiras causado pela pandemia do novo coronavírus, puderam iniciar o caminho de volta nesta quinta-feira (23), após uma ação articulada pelas autoridades consulares dos dois países. Uma ação integrada envolvendo Itaipu, Prefeitura de Foz do Iguaçu entre outros órgãos, permitiu a entrada no lado brasileiro da fronteira do primeiro grupo, formado por 60 pessoas.
A expectativa é que aproximadamente 400 brasileiros cheguem à fronteira entre esta quinta e sexta-feira (24), em diferentes horários. A maioria é formada por pessoas provenientes da Região Nordeste do País, que estudam Medicina na capital paraguaia. 

Para recebê-los, foi feita uma operação na aduana brasileira, em Foz do Iguaçu, envolvendo diversos órgãos – como Polícia Federal, Defesa Civil de Foz do Iguaçu, 9ª Regional de Saúde, Secretaria Municipal de Saúde, Itaipu, Unioeste e Unila e outras entidades que integram o enfrentamento da covid-19 na cidade.
Foto: Itaipu Binacional
De acordo com Jorge Aureo, assessor especial da Diretoria Geral Brasileira da Itaipu, e representante da empresa no enfrentamento da pandemia, a prefeitura solicitou, em caráter emergencial, à Itaipu o fornecimento de ônibus para transportar os brasileiros, o que motivou a realocação de cinco veículos que transportam os empregados para atender à causa humanitária. “Itaipu sempre estará pronta para ajudar no enfrentamento à pandemia na cidade e proporcionar, nesta ocasião, uma melhor acolhida aos nossos irmãos brasileiros à cidade de Foz do Iguaçu”, afirmou Áureo.
Foto: Itaipu Binacional
“A prefeitura organizou junto com a Itaipu e o governo do Estado toda uma operação para testar toda pessoa que entra no Brasil por uma das fronteiras em Foz do Iguaçu”, informou o prefeito de Foz do Iguaçu, Chico Brasileiro, que acompanhou a chegada dos brasileiros na aduana. “Temos toda a estrutura para que estas pessoas se sintam protegidas em Foz do Iguaçu e que a cidade se sinta protegida com a chegada delas”.

Foto: Itaipu Binacional
Na aduana brasileira, a primeira triagem foi feita dentro do ônibus, antes mesmo do desembarque. O coordenador do enfretamento da covid-19 em Foz do Iguaçu, o médico Luiz Fernando Zarpelon, fez as primeiras perguntas para identificar pessoas com possíveis sinais agudos de gripe. “Elas já foram submetidas a uma triagem em Assunção, mas também temos que fazer este procedimento”, explicou Zarpelon.

Foto: Itaipu Binacional
Em seguida, elas foram encaminhadas para medir a temperatura, fazer o registro dos documentos e passaram por testes rápidos, que identificam a presença de anticorpos no sangue. Eventuais casos positivos de covid-19 seriam encaminhados ao Hospital Municipal, o que não foi necessário: nenhum integrante do primeiro grupo de repatriado testou positivo. Os brasileiros foram, então, levados, com os ônibus da Itaipu, a um hotel da cidade antes de se deslocarem para suas cidades.

Itaipu contra o novo coronavírus
Itaipu tem sido atuante no enfrentamento ao novo coronavírus em Foz do Iguaçu. A principal medida de apoio foi o encaminhamento de R$ 15 milhões para o Hospital Ministro Costa Cavalcanti (HMCC) se reorganizar e adquirir insumos e equipamentos para atender à demanda da doença. O HMCC tem 15 leitos da UTI destinados à covid-19 e 12 leitos de semi-intensivo.
Além disso, o HMCC credenciou o Laboratório de Saúde Única do Centro de Medicina Tropical como representante do Laboratório Central do Paraná para fazer os exames da covid-19, o que diminui o tempo para o resultado dos exames. Entre outras ações, a empresa também adquiriu seis mil testes rápidos e dobrou o fundo de auxílio eventual de US$ 250 mil para US$ 550 mil, o equivalente a R$ 2,7 milhões. 

PLANTÃO DE URGÊNCIA
HMCC tem ala de tratamento de covid-19 para o SUS, sem custo
Atendimento de alta complexidade vai ocorrer quando houver sobrecarga nos outros hospitais da 9ª Regional de Saúde do Paraná.
Enquanto estiver declarado estado de calamidade pública no Paraná em decorrência da pandemia do novo coronavírus, o Hospital Ministro Costa Cavalcanti (HMCC) atenderá a alta complexidade de casos de covid-19, quando houver sobrecarga de outros hospitais da 9ª Regional de Saúde do Paraná.
Agora, caso ocorra uma superlotação de leitos de UTI para pacientes com diagnóstico comprovado de covid-19 nos hospitais públicos da 9º Regional de Saúde, o Costa Cavalcanti disponibilizará os leitos especializados de UTI covid-19 aos pacientes do SUS, dentro da sua capacidade instalada, sem custos, incluindo o Hospital Padre Germano Lauck, em Foz do Iguaçu.

Para isso, a Itaipu, mantenedora do hospital, estabeleceu um fluxo de atendimento dos leitos da ala exclusiva da covid-19 para pacientes do SUS da 9ª Regional de Saúde. São dez da Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e 17 de Terapia semi-intensiva destinados ao internamento de pacientes graves da doença. Eles se somam a outros 70, 17 deles só de UTI, do Hospital Municipal Padre Germano Lauck, de Foz do Iguaçu.
Para deixar claro o funcionamento desse fluxo de atendimento para o município, principalmente na eventualidade de evolução da doença, Itaipu apresentou um plano de trabalho à Prefeitura nesta segunda. O coronel Jorge Aureo, assessor especial do diretor-geral brasileiro de Itaipu, general Joaquim Silva e Luna, responsável pelo GT Estratégico da Covid-19 da empresa, se reuniu com o vice-prefeito e secretário de Saúde de Foz, Nilton Bobato.

Conforme definido com o Comitê Municipal de Urgência e Emergência, o HMCC, por meio da Fundação de Saúde Itaiguapy, colocou à disposição sua infraestrutura exclusiva de covid-19 para atendimentos de pacientes do SUS, com diagnóstico da doença dentro de especialidades de alta complexidade reconhecido pela 9ª Regional, como oncologia, cardiologia e obstetrícia.

As altas complexidades do HMCC 
Cardiologia e cirurgia cardíaca para pacientes com eventos agudos ou crônicos de origem cardíaca, com suspeita ou confirmação de covid-19.
Na obstetrícia de alto risco, as gestantes com Pneumonia ou Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG), com suspeita ou confirmação de Covid-19, com necessidade de internamento.
Na oncologia, os pacientes em investigação, tratamento ou acompanhamento oncológico no HMCC, com suspeita ou confirmação de Covid-19, com necessidade de internamento.
Na neonatologia e pediatria voltadas para recém-nascidos ou crianças com diagnóstico de covid-19, com indicação de internação em Unidade de Terapia Intensiva (UTI).

O HMCC também credenciou o Laboratório de Saúde Única do Centro de Medicina Tropical como representante do Laboratório Central do Paraná para fazer os exames da covid-19, o que diminui o tempo para o resultado dos testes.


Itaipu e PTI aguardam homologação de respirador artificial da região
O protótipo de ventilador eletromecânico é uma alternativa emergencial a modelos mais caros – que podem chegar a R$ 80 mil. Foto: Itaipu Binacional
O Parque Tecnológico Itaipu (PTI), mantido pela usina de Itaipu, aguarda a homologação de modelo de respirador artificial (ventilador eletromecânico) de baixo custo e rápida produção para o tratamento de pacientes contaminados pelo novo coronavírus. A solução é liderada pela Indústria Schumacher, de Marechal Cândido Rondon, pela usina de Itaipu, margem esquerda, e PTI-BR, com apoio de outras instituições do Estado. 

Esse é mais um esforço conjunto para o enfrentamento da doença feito em parceria pela Itaipu e diversas entidades na região de abrangência da usina. Após a homologação, a indústria teria condições de produzir até 20 respiradores desse modelo por dia. A fabricação das válvulas pneumáticas – consideradas o “coração” do respirador – é a grande especialidade da Indústria Schumacher.

A Schumacher dispõe de 70% dos componentes internos do respirador. O Sistema Regional de Inovação (SRI) tem dado suporte tanto na busca de fornecedores quanto no apoio para a criação do protótipo. O SRI contempla uma rede de atores que interagem para promover um ambiente favorável à inovação para o desenvolvimento regional. A outra parte viria de um parceiro antigo e do próprio PTI. 

O propósito do projeto não é visar lucro e venda em grande escala, mas sim proporcionar à comunidade uma solução em forma de projeto aberto que seja eficiente e possa ser replicado em diferentes regiões durante a pandemia.   O protótipo do respirador artificial de baixo custo atende às especificações exigidas quanto aos parâmetros técnicos, como pressão e volume.   
O grande desafio agora é correr contra o tempo para obter as certificações e homologações necessárias para que o equipamento possa entrar em operação nas unidades de terapia intensiva dos hospitais. 

Este trabalho de validação junto aos órgãos competentes, como a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), está sendo feito pelo PTI-BR em parceria com a Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial, a Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUC-PR) e o Lactec, instituto privado de pesquisas tecnológicas, localizado em Curitiba (PR).

O PTI-BR e a Evolutec (parceira da Indústria Schumacher no desenvolvimento de componentes eletrônicos) são responsáveis por toda a parte de eletrônica embarcada no equipamento, além de prestar auxílio financeiro para a compra de insumos necessários para a validação do protótipo do projeto, que terá dois meses de duração.

ALTAS DE PACIENTES COM COVID-19
Terceira alta hospitalar por coronavírus
Um paciente de 60 anos, internado desde 7 de abril, voltou para casa nesta segunda-feira, 27.
O Hospital Ministro Costa Cavalcanti (HMCC), mantido pela usina de Itaipu, teve mais uma alta de paciente com covid-19 em Foz do Iguaçu. Irio Damian Preve, de 60 anos, estava internado há 20 dias, desde 7 de abril, e deixou a unidade hospitalar nesta segunda-feira (27), com muita festa. 
Colaboradores e médicos do HMCC comemoraram a recuperação. Ele é o terceiro caso de paciente internado que recebe alta da ala exclusiva de covid-19 em 11 dias.
Foto: Debora Black/Assessora HMCC
“Queria agradecer as equipes que me atenderam, todos os médicos e colaboradores pela atenção, carinho e pela competência no meu tratamento. Que Deus os abençoe para que continuem salvando outras vidas. É um verdadeiro milagre o que aconteceu comigo”, agradeceu Irio.
Foto: Debora Black/Assessora HMCC
Quarta alta hospitalar por coronavírus
Dona Erondina, de 63 anos, apresentava quadro de insuciência cardíaca congestiva. Ela estava internada havia dez dias e sua saída foi bastante comemorada.
O Hospital Ministro Costa Cavalcanti (HMCC), mantido pela usina de Itaipu, deu alta a Erondina Lourenço de Ramos, de 63 anos, nesta sexta-feira (8). Ela estava internada desde o dia 28 de abril com o diagnóstico de covid-19 e insuciência cardíaca congestiva. É o quarto caso de recuperação do novo coronavírus no centro hospitalar, o primeiro pelo Sistema Único de Saúde (SUS).  

Foto: Debora Black/Assessora HMCC
A saída dela, a exemplo dos demais pacientes curados de covid-19, foi bastante comemorada. A terceira alta havia sido registrada no dia 27 de abril. O paciente, de 60 anos, voltou para casa depois de 20 dias internado. Antes dele, foram registradas altas nos dias 16 (um homem de 56 anos) e 24 de abril (uma mulher de 63 anos).  Encaminhada por uma unidade básica de saúde do município, a paciente deu entrada no hospital depois de apresentar sintomas compatíveis com a covid-19. Após triagem, ela recebeu atendimento médico e seu caso foi noticado à Vigilância Epidemiológica. Internada na Unidade de Tratamento Covid (UTC) do HMCC, Erondina permaneceu em isolamento e foi submetida a exames laboratoriais e de imagens.

Os protocolos adotados pelo centro hospitalar são atualizados diariamente pelo Núcleo de Inteligência Covid-19 e pautados nos periódicos do Centers for Disease Control and Prevention (CDC-EUA), Ministério da Saúde, Organização Mundial da Saúde (OMS) e Hospital Israelita Albert Einstein (HIAE).

Testes de covid-19 doados pela Itaipu à Prefeitura 
Cinco unidades básicas de saúde já estão utilizando o material para ajudar a diagnosticar a doença
Os 500 testes de covid-19 doados pela Itaipu Binacional à Prefeitura de Foz do Iguaçu já estão sendo utilizados em cinco unidades básicas de saúde, desde segunda-feira (4). Todos serão encaminhados para a análise do Laboratório de Saúde Única do Centro de Medicina Tropical do Hospital Ministro Costa Cavalcanti (HMCC), que é habilitado pelo Laboratório Central do Estado (Lacen).
A descentralização dos testes não muda a orientação da Prefeitura de Foz: no caso de dúvida ou início dos sintomas (como febre, tosse, dor de garganta e dor de cabeça), é preciso primeiramente entrar em contato com o Plantão Coronavírus, por meio dos telefones (45) 99992-0550, 99997-5111, 99997-5150, 99997-5251 ou 3521-1800. Casos graves, como falta de ar, podem ser acionados via Samu (192).

Segundo a Prefeitura, não se deve pedir testes em uma unidade de saúde ou Unidade de Pronto Atendimento (UPA) antes de entrar em contato com o Plantão Coronavírus. Caso seja identificada a necessidade, o plantonista encaminhará as pessoas para se submeter aos testes.

O lote inicial era de 500 testes, mas 60 tiveram de ser usados pela própria Itaipu, para exames em empregados que trabalham em regime de turno e tiveram contato com motoristas terceirizados diagnosticados com covid-19. 

Postagens mais visitadas deste blog

COLUNA SOCIAL - Edição CCXXI

DESTAQUE DO DIA A aniversariante...

COLUNA SOCIAL - Edição CCIX

DESTAQUE DO DIA

COLUNA SOCIAL - Edição CCXVII

DESTAQUE DO DIA