Pular para o conteúdo principal

Destaques na Luta contra COVID 19 - PREFEITURA DE FOZ INAUGURA E AGRADECE APOIO ITAIPU

O diretor-geral brasileiro, general Joaquim Silva e Luna, recebeu uma placa de agradecimento em reconhecimento ao apoio da Itaipu no combate à pandemia. Foto Thiago Dutra/AMN.
O diretor-geral brasileiro da Itaipu, general Joaquim Silva e Luna, participou da solenidade de inauguração da primeira Unidade de Terapia de Doenças Infecciosas (UTDI) de Foz do Iguaçu, na manhã desta segunda-feira (18), no Hospital Municipal Padre Germano Lauck. O diretor recebeu uma placa de agradecimento em reconhecimento ao apoio da Itaipu às melhorias no hospital e fez uma visita técnica à UTDI, acompanhado do prefeito, Chico Brasileiro, e de autoridades convidadas. 
Foto Thiago Dutra/AMN.
A nova ala chega em boa hora e poderá ser utilizada como Unidade de Terapia Intensiva (UTI) para pacientes com covid-19. Ela é composta por 12 novos leitos de internação, um tomógrafo, equipamentos para a central de esterilização e uma nova farmácia. Como parte do esforço de combate à pandemia, a Itaipu recentemente doou 15 camas, 15 monitores e cinco respiradores mecânicos ao Hospital Municipal. Alguns desses equipamentos serão usados no novo setor. 
Foto Thiago Dutra/AMN.
“Sem a Itaipu ficaria muito difícil levar esse projeto adiante”, disse o prefeito de Foz do Iguaçu, Chico Brasileiro. Para Silva e Luna, o momento pede união e solidariedade. “Fizemos um investimento da ordem de R$ 22 milhões em diversas frentes para ajudar Foz do Iguaçu e região a enfrentar essa pandemia e é com satisfação que vemos o resultado, pois o número de infectados na cidade é baixo em comparação com outras do mesmo porte.”

Itaipu compartilha tecnologia no combate à covid-19
Impressora 3D da empresa está sendo usada para produção de peças para equipamentos médicos
Foto: Eduardo Fontanetti/Itaipu Binacional
Em uma parceria com a força-tarefa I3DC (Impressoras 3D vs. Covid-19), que reúne diversas instituições na busca por soluções de enfrentamento ao coronavírus, a Itaipu binacional cedeu a impressora 3D da Diretoria de Coordenação para a produção de peças para respiradores que serão doadas a instituições de Foz do Iguaçu. 
Foto: Eduardo Fontanetti/Itaipu Binacional
Com tecnologia de modelagem por fusão e deposição (FDM), a impressora está produzindo rolhas de intubação de poliuretano termoplástico (TPU) para uso em respiradores. Elas diminuem a dispersão de aerossol no momento da intubação do paciente, reduzindo o risco de contaminação do ambiente e da equipe que realiza a intervenção. Serão produzidas 110 rolhas: 50 para o Hospital Municipal de Foz do Iguaçu, 50 para as ambulâncias do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e dez para o Serviço Integrado de Atendimento ao Trauma em Emergência (Siate).  No momento, há somente duas impressoras em Foz do Iguaçu capazes de imprimir peças em TPU, mas somente a da Itaipu está produzindo as rolhas. 
Foto: Eduardo Fontanetti/Itaipu Binacional
A outra máquina, que pertence à Unila, está sendo aproveitada em outros projetos. Com uma produção média de até 12 peças por dia, a estimativa é que até o final do mês todas as rolhas estejam concluídas.
Normalmente, a impressora é utilizada pelas equipes da Diretoria de Coordenação para modelagem e confecção de peças para os protótipos de mobilidade elétrica. “Nós fazemos, por exemplo, suportes para cabos e baterias dos projetos em que estamos trabalhando”, explica Eduardo Fontanetti, da Superintendência de Gestão Ambiental (MA.CD).
Foto: Eduardo Fontanetti/Itaipu Binacional
Segundo o coordenador do GT Estratégico da Covid-19 da Itaipu, coronel Jorge Áureo, assessor especial do diretor-geral brasileiro, Joaquim Silva e Luna, “a empresa tem se esforçado ao máximo para ajudar a sociedade como um todo no enfrentamento à pandemia. Essa é mais uma ação, entre várias outras com esse propósito”.

Força-tarefa
“É uma peça simples, de baixo custo, mas muito importante, pois aumenta a segurança das equipes médicas que trabalham no combate à covid-19”, afirma o estudante de Medicina da Universidade Federal da Integração Latino-Americana (Unila) e coordenador do Grupo I3DC, Arthur de Freitas Andrade.
Além da Itaipu, o grupo intitulado “I3DC” é composto pelo Instituto Federal do Paraná (IFPR), Parque Tecnológico Itaipu (PTI), Universidade Estadual do Oeste do Paraná (Unioeste), Universidade da Integração Latino-americana (Unila), Nishioka Eletrônica, CRTL 3D, Artesanato Iguassu, Pró-heróis Foz do Iguaçu, Foz Mil Grau, Criativa 3D e Colégio Sesi Internacional. O objetivo é produzir equipamentos que auxiliarão no combate à pandemia de covid-19.

Elevador cedido por Itaipu reforça atendimento a casos graves de covid-19 no HMCC
Plataforma elevatória permite que pacientes suspeitos da doença sejam levados diretamente para a ala especial de covid-19, sem passar por dentro do hospital.
Foto: 
Rubens Fraulini/Itaipu Binacional
A Itaipu Binacional instalou no Hospital Ministro Costa Cavalcanti (HMCC), em Foz do Iguaçu, uma plataforma de elevação para atender pacientes graves com sintomas de contaminação pelo novo coronavírus. O elevador vai possibilitar que esses pacientes entrem diretamente na ala criada para atendimento exclusivo de covid-19, que fica no segundo andar, sem passar por outras áreas dentro do hospital (ainda que elas estejam preparadas para esse trânsito). 

O equipamento deverá ser usado apenas quando o paciente chega de maca, intubado, e não em outras situações. “Antes, como alternativa, era necessário acessar a ala exclusiva de covid-19 por uma escadaria, com uma dificuldade muito grande, o que significava também um risco para os enfermeiros e médicos”, explicou Josias Aguera da Costa, da Divisão de Montagem Eletromecânica (SOCM.DT) da Itaipu.
Foto: Rubens Fraulini/Itaipu Binacional
O novo elevador foi desenvolvido em menos de 20 dias. Para atender a essa demanda em tão pouco tempo, os técnicos da Itaipu adaptaram uma estrutura já disponível, o elevador E29, que fazia a transição entre as cotas 98 e 78 da usina (as cotas indicam a elevação em relação ao nível do mar).
Esse elevador ficava em cima de uma laje de concreto. Então, foi necessário criar uma estrutura de apoio. A base foi construída pela equipe de Engenharia de Manutenção do HMCC. "Lembrei-me dos deslocamentos entre grandes alturas de Itaipu e pensei que poderia nos ajudar. Uma ideia simples que me ocorreu e que agora vira realidade e contribuirá para salvar vidas", afirmou Alexandra Michelon, gerente do Departamento Administrativo do HMCC, responsável pela gestão da obra realizada no hospital.

Além da nova base para a estrutura, os técnicos da Itaipu tiveram de aumentar as dimensões da plataforma para comportar uma maca, médico e enfermeiro. As adaptações e melhorias foram realizadas pela Superintendência de Obras, com apoio da Superintendência de Manutenção (que fez os projetos mecânico e elétrico), ambas da Diretoria Técnica da Itaipu.
O diretor administrativo-financeiro do HMCC, Adriano Hamerschmidt. 
Foto: Alexandre Marchetti/Itaipu Binacional. 
“A plataforma de elevação da Itaipu será de fundamental importância para os atendimentos de transferências de pessoas infectadas oriundas de outras unidades. A segurança e o bem-estar de todos, pacientes e profissionais, são cláusulas pétreas nos atendimentos do HMCC”, afirmou o diretor administrativo-financeiro do hospital, Adriano Hamerschmidt. “Um agradecimento especial aos diretores geral e técnico da Itaipu, general Joaquim Silva e Luna e Celso Torino, que aceitaram de pronto esse desafio”, completou.
Foto: Rubens Fraulini/Itaipu Binacional
A instalação no hospital foi outra parte importante da operação, principalmente pela logística, que envolveu a utilização de um guindaste (também da Itaipu) para levantar os mais de 1.500 kg da estrutura. Após a realização de testes que confirmaram a segurança da plataforma, ela está pronta para ser utilizada nas situações de emergência relacionadas à recepção de pacientes graves com covid-19.

Covid-19: Auxílio eventual de Itaipu é exclusivo para área de abrangência da usina
Data de envio dos planos de trabalho vai até 5 de junho. O valor global da ajuda para municípios do Oeste do Paraná é de R$ 2,7 milhões.
Diretor Geral da Itaipu Binacional, General Joaquim Silva e Luna, à frente da Itaipu Binacional. Foto: Assessoria Itaipu Binacional
A Itaipu Binacional aumentou o valor do auxílio eventual para apoiar iniciativas de combate à covid-19 na área de sua influência. A prioridade é atender, neste momento de crise sanitária nacional e mundial decorrente da pandemia, instituições de ajuda humanitária localizadas nos 54 municípios do Oeste do Paraná. A data limite de envio dos planos de trabalho é 5 de junho.
Uma das instituições que já teve o apoio aprovado é o Lar dos Velhinhos de Foz do Iguaçu. A entidade vai receber, por meio do fundo, a soma de R$ 174.984,45 para a aquisição de materiais de limpeza, alimentação, higiene e segurança. O apoio vai garantir a manutenção do atendimento durante a pandemia do novo coronavírus. Crédito foto: Sara Cheida / Itaipu Binacional.

O valor global é de R$ 2,7 milhões, mas o limite por entidade caiu de R$ 170 mil para R$ 80 mil. A redução do valor vai permitir que mais instituições sejam beneficiadas. Até agora, 11 já foram contempladas, com recursos na ordem de R$ 1.120.917,00.
Outros 12 planos de trabalho estão sendo avaliados. O coordenador do Grupo GT Estratégico da Covid-19 da Itaipu, coronel Jorge Aureo, explica que a decisão de contemplar especificamente instituições da região ocorre em função da excepcionalidade da pandemia. Foto: Assessoria Itaipu Binacional.
Crédito fotos Anjos da Madrugada: Paulo Lisboa / Itaipu Binacional.
As entidades interessadas em receber o auxílio precisam apresentar ofício, o plano de trabalho e os orçamentos. É possível encaminhar a documentação tirar dúvidas pelo e-mail auxilioeventual@itaipu.gov.br ou pelo telefone (45) 3520-5920.

Em decorrência da pandemia, a Itaipu mais que dobrou o valor do Fundo de Auxílio Eventual, para R$ 2,7 milhões. O público-alvo são entidades de ajuda humanitária. Itaipu controla a prestação de contas a partir da execução de um plano de trabalho, com uma série de critérios que são auditados internamente. Todas deverão prestar conta.

Morador do Rio Grande do Sul é o sexto paciente de covid-19 a receber alta do Costa Cavalcanti
Depois de dias internado, ele foi liberado nesta segunda-feira (25) e seguirá em isolamento domiciliar.
Fonte: Assessorias de Comunicação HMCC e Itaipu
Foto: Débora Black / Assessoria HMCC
José Rosmar Sganzela, de 58 anos, morador do Rio Grande do Sul, recebeu alta nesta segunda-feira (25), depois de ficar oito dias internado com diagnóstico de covid-19, no Hospital Ministro Costa Cavalcanti (HMCC), em Foz do Iguaçu. A recuperação foi no ritmo da emoção: música ao saxofone e muita alegria. Uma comemoração à vida. 
Foto: Débora Black / Assessoria HMCC
Ele estava em Foz do Iguaçu a trabalho, quando começou a sentir dores no corpo, febre, tosse seca, perdas do olfato e do paladar. Sganzela havia sido internado em outra unidade hospitalar da cidade e foi transferido para o hospital, que é mantido pela usina de Itaipu, no último dia 17. Durante o internamento, permaneceu com o quadro clínico estável, sem a necessidade de ventilação mecânica, e recebeu tratamento à base de hidroxicloroquina, em combinação com azitromicina, associada a outros medicamentos. Liberado, agora deverá seguir em isolamento domiciliar pelos próximos dias. “Queria poder dar um abraço em todos vocês, obrigado por tudo”, disse.

Atendimento
Uma equipe inteira esteve envolvida no atendimento: médicos intensivistas e clínicos, pessoal do Serviço de Controle de Infecção, enfermeiros, fisioterapeutas, técnicos de enfermagem, nutricionistas, maqueiros, farmacêuticos, assistentes sociais, psicólogos, higienização, radiologia, laboratório, administrativo, compras e manutenção.

Altas
Todos os pacientes com o novo coronavírus internados no HMCC receberam tratamento com base em protocolo atualizado diariamente pelo Núcleo de Inteligência Covid-19 e pautado nos periódicos do Centers for Disease Control and Prevention (CDC-EUA), Ministério da Saúde, Organização Mundial da Saúde (OMS) e Hospital Israelita Albert Einstein (HIAE).

A Itaipu e o combate à covid-19
A Itaipu é uma das principais parceiras de Foz no combate à pandemia de covid-19, com uma série de ações voltadas à prevenção e tratamento da doença. O rol de ações é amplo e variado, incluindo convênios e medidas de auxílio eventual. A diretoria brasileira de Itaipu investiu mais de R$ 22 milhões no enfrentamento à covid-19. A medida foi adotada em consonância com as diretrizes do governo federal.

A empresa liberou R$ 15 milhões para a reestruturação do Hospital Ministro Costa Cavalcanti (HMCC), que é mantido por ela, para a compra de equipamentos e insumos. A Ala Covid-19 do HMCC conta com 15 leitos de UTI e 12 de semi-intensiva. Outras unidades hospitalares da 9º Regional de Saúde do Estado do Paraná também foram beneficiadas por estes recursos, com o fornecimento de equipamentos de proteção individual (EPIs), álcool em gel 70%, materiais, medicamentos, camas e diversos outros materiais.

Para o Hospital Municipal de Foz, cidade-sede da usina, além dos equipamentos entregues a Itaipu dispôs o HMCC para ajudar a receber pacientes de covid-19, sem custos para o SUS, no caso de uma eventual sobrecarga nos leitos em função da pandemia.

A habilitação do Centro de Medicina Tropical do HMCC junto ao Laboratório Central do Estado do Paraná (Lacen) diminuiu o tempo para o resultado dos testes de covid-19. Antes disso, era necessário enviar as amostras para Curitiba. A Itaipu também doou 500 testes à Prefeitura de Foz do Iguaçu, que estão sendo usados em cinco unidades básicas de saúde da cidade.

A Itaipu ainda aumentou o valor do Fundo de Auxílio Eventual para R$ 2,7 milhões. O público-alvo são entidades de ajuda humanitária. E empresa controla a prestação de contas a partir da execução de um plano de trabalho, com uma série de critérios que são auditados internamente. 

Com o governo do Estado, a Itaipu fez um convênio de R$ 4 milhões para a contratação de 733 bolsistas. Todos da área de assistência à saúde, para atividades de apoios às regionais do Estado.

Postagens mais visitadas deste blog

Amigas de Das Graças promovem rifa de jóias em apoio ao trabalho e memória da colunista social e fotógrafa

Tudo começou ainda durante a pandemia. Com os trabalhos do filho Marco Antonio pautados em eventos e turismo, as dificuldades claro bateram na porta, e além da venda de um dos automóveis que a família tinha, algo mais precisava ser feito para quitar os compromissos e dívidas inerentes de um ano praticamente sem trabalho, em casa, Das Graças e seu filho Marco. Este grupo de amigas conta que mesmo em vida, Das Graças pensava em usar as joias para ajudar nas despesas domésticas e de saúde. No entanto, a saúde da colunista se agravou e sobreveio o internamento e a cirurgia.  Pensando em se desfazer de alguma forma de peças de joias que tinha enquanto presente nas festas de nossa sociedade, Das Graças acionou sua estimada amiga, Sílvia Rodrigues, para que a ajudasse na empreitada, o que foi de pronto atendida.  As joias -  As três peças que serão rifadas, eram relíquias da família  que ela ostentava nas grandes festas da sociedade que participava, ao longo da gloriosa carreira de colunismo

COLUNA SOCIAL Foz em Destaque - Edição CLXXX

DESTAQUE DO DIA

Postagens COLUNA SOCIAL - Edição CXCI

DESTAQUE DO DIA