Pular para o conteúdo principal

Nova ITAIPU: CRONOGRAMA DE ENTREGAS DE OBRAS E AÇÕES SOCIAS SE DESTACAM

Compromisso: Itaipu praticamente dobra investimentos em 2020 e chega a 2021 com cronograma de entregas importantes
Da geração de energia com qualidade e eficiência a projetos sociais e ambientais, passando por obras estruturantes, as ações impactam diretamente na melhoria de vida das pessoas mais vulneráveis
Foto: Rubens Fraulini - Assessoria Itaipu

No ano em que o mundo foi impactado pela pandemia da covid-19, a margem brasileira da Itaipu Binacional praticamente dobrou os investimentos em obras estruturantes, em ações ambientais, iniciativas humanitárias e de desenvolvimento social em sua área de influência. O resultado foi um impacto altamente positivo para a economia e para o bem-estar das comunidades da região. 

Em 2021, a Itaipu segue na mesma linha, com um pacote de compromissos e um cronograma de entregas importantes. “Chegamos a 2021 com o compromisso de produzir 75 milhões de megawatts-hora até o final de dezembro para os sistemas brasileiro e paraguaio, conforme previsto em contrato, e com uma série de entregas”, diz o diretor-geral brasileiro de Itaipu, general Joaquim Silva e Luna. 

 “Vamos manter o foco na nossa missão, mas sempre com novos desafios. O principal deles é cumprir à risca os nossos objetivos estratégicos, o que nos comprometemos, e seguir adiante com propósitos que sirvam de engajamento para toda a sociedade”, diz o diretor-geral brasileiro de Itaipu.   

Para ilustrar, Silva e Luna cita como exemplo o conceito de pendência e tendência. Foto: Alexandre Marchetti - Assessoria Itaipu

“De forma prática, pendência é que o ficou no passado, o que ficou para trás e temos que obrigatoriamente entregar. Já a tendência é algo novo, que irá acontecer, para o onde o mundo vai caminhar”. E complementa: “Antes andávamos com pressa para progredir; hoje corremos para ficar no mesmo lugar. Temos que nos antecipar”, diz, fazendo uma analogia com o trabalho da binacional.

O orçamento da Diretoria de Coordenação, que concentra a execução dos projetos, saltou de R$ 314 milhões em 2019 para R$ 611 milhões em 2020. O aumento foi de 94%. O número de contratos em andamento cresceu 40%, de 280 para 391. 

No total, considerando a execução de todos os projetos nos próximos anos, são aproximadamente R$ 2,4 bilhões compromissados, incluindo novos contratos para modernização do setor elétrico brasileiro. Esses recursos incluem obras, como a segunda ponte com o Paraguai, o novo mercado municipal, a revitalização do Gramadão da Vila A, a ampliação dos aeroportos de Foz e Cascavel, além de ações contínuas, como a manutenção da faixa de proteção do reservatório, monitoramento da qualidade da água, conservação da biodiversidade, projetos sociais e de educação ambiental, além da ajuda humanitária para o enfrentamento da pandemia, em caráter emergencial. 

“São aportes essenciais para garantir a segurança energética e hídrica, que visa a assegurar de forma sustentável a operação da usina hoje e nas próximas décadas, levando em consideração sua atividade-fim, assim como a melhoria da qualidade de vida da nossa gente”, explica Silva e Luna.

Grande parte dessas ações é feita em consonância com as diretrizes do presidente Jair Bolsonaro e em parceria com os governos estadual e municipal, no âmbito do Acelera Foz. O programa faz parte de um plano de retomada econômica de Foz do Iguaçu e tem a coordenação estratégica do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social de Foz do Iguaçu (Codefoz), Itaipu Binacional, Parque Tecnológico Itaipu (PTI), Prefeitura de Foz, Sebrae, Programa Oeste em Desenvolvimento, Associação Comercial e Empresarial de Foz do Iguaçu (Acifi) e Conselho Municipal de Turismo (Comtur).

A iniciativa, lançada em maio de 2020, é dividida em sete temas e serve como importante vetor na retomada do crescimento. 

Segundo o diretor Silva e Luna esse leque de iniciativas é de grande importância, pois vem permitindo a abertura de várias frentes de trabalho, gerando oportunidades de emprego e renda para quem mais precisa, especialmente neste momento delicado da economia.

Outro dado importante é que a empresa reforçou o caixa para ações sociais. Foram mais de 50 milhões repassados a instituições de saúde e que trabalham com pessoas em situação de vulnerabilidade. “Há muito tempo, Itaipu deixou de ser uma usina que só gera energia limpa e renovável, o que já seria muito, pois é líder mundial em produção, para se tornar uma empresa à frente das melhores tendências e práticas de gestão com responsabilidade social e ambiental”, finaliza Silva e Luna.



Social: em ajuda humanitária, Itaipu beneficiou mais de 60 mil pessoas em 2020
Recursos foram canalizados diretamente para as parcelas da população mais afetadas pela pandemia

A margem brasileira da Itaipu Binacional investiu cerca de R$ 50 milhões em iniciativas de ajuda humanitária, beneficiando diretamente mais de 60 mil pessoas em situação vulnerável, em 2020, ano em que a pandemia de covid-19 causou grande impacto econômico mundial. 

Segundo o coronel Aureo Ferreira, assessor especial do diretor-geral brasileiro de Itaipu, general Joaquim Silva e Luna, esse foi o investimento mais importante que a empresa realizou no ano passado. Ele falou sobre esse e outros temas em uma entrevista a uma rádio local, nesta quinta-feira (7). 

“Todos os investimentos da Itaipu são essenciais, mas investir na nossa gente é, sem dúvida, o mais importante”, afirmou, citando o exemplo do Lar do Velhinhos, em Foz do Iguaçu, que estava em situação de insolvência. Foto: Rubens Fraulini - Assessoria Itaipu

No total, 76 entidades de cunho social foram beneficiadas pelo auxílio eventual da Itaipu em 2020. Só no enfrentamento à covid-19, com recursos para compra de insumos e equipamentos, além de criação de uma infraestrutura de atendimento especial aos doentes, incluindo pacientes do Sistema Único de Saúde, foram mais de R$ 20 milhões. 

A Itaipu, por meio da Fundação Itaiguapy, colocou à disposição da população, 40 leitos de UTI e outras 15 unidades de transição. Desde o início da pandemia, por volta de 500 pessoas com covid foram internadas no Hospital Ministro Costa Cavalcanti, mantido pela usina. O hospital também aplicou mais de 33 mil testes RT-PCR.

Todos contra a dengue
Foto: Rubens Fraulini - Assessoria Itaipu

Outro destaque nas relações com a comunidade foi a Gincana Todos contra a Dengue, que mobilizou vários bairros e foi coordenada pelo GT Saúde de Itaipu e parceiros. A gincana, numa primeira etapa, distribuiu R$ 175 mil em recursos para aplicação em iniciativas em prol da população. Três bairros vencedores usarão o dinheiro com projetos sustentáveis para garantir melhorias na comunidade.

Aureo Ferreira também fez um balanço da atual gestão da margem brasileira da usina, destacando que, mais do que investimentos em obras, a principal preocupação é com as pessoas. Exemplo disso é a ação voltada aos guias de turismo, na forma de bolsa-estudo (por três meses, os guias receberam ajuda de custo e capacitação). 

Segundo o assessor, a pedido dos próprios guias, o convênio terá continuidade em forma de treinamento. A medida incentiva o segmento e melhora o turismo como um todo. 

“Foz do Iguaçu é acolhedora. É inesgotável a quantidade de atrativos e de beleza que essa cidade tem”, elogiou Aureo.  

Turismo 
Foto:  Assessoria Itaipu

Ainda no campo do turismo, o coronel elencou alguns dos projetos de revitalização dos atrativos do Complexo Turístico Itaipu, que resultarão em impactos positivos para o Destino Iguaçu. 
Em setembro de 2020 foram iniciadas as obras de estruturação no Mirante do Vertedouro. Já em novembro, foi a vez do Mirante Central. A reestruturação, além de embelezamento, vai possibilitar mais acessibilidade e maior conforto aos turistas. A conclusão está prevista para o primeiro semestre de 2021.


Ainda em 2020, foi assinado um convênio com o PTI, para investimento para melhorias nas lojas no Mirante Central e banheiros, execução de uma primeira etapa de adequação do Centro de Recepção do Visitante e adequação geral do Parque Tecnológico Itaipu, em atendimento às normas do Corpo de Bombeiros. Este convênio tem a previsão de ser executado em três anos. 

O Ecomuseu também passará por revitalização e receberá observatório astronômico, planetário, área de exposições e espaços educativos.

Centro Cívico
O assessor confirmou avanços nas negociações da cessão de um terreno na Vila A para a Prefeitura, onde deverá ser construído o Centro Cívico, na região do CTG Charrua. A transferência será feita em forma de permuta. 
Para o assessor, o Centro Cívico é uma boa iniciativa de gestão, pois vai integrar toda a municipalidade num só lugar e racionalizar os serviços da prefeitura. 
Sobre o pacote de obras em Foz, Aureo destacou a preocupação da empresa com o cumprimento dos prazos estipulados. A construção do Mercado Municipal, por exemplo, que se encontrava em atraso, já está novamente dentro do cronograma. A construção está prevista para ser entregue no segundo semestre deste ano. 

Beira Foz
O assessor disse ainda que existe um convênio para dar andamento ao Projeto Beira Foz, mas num novo formato. A proposta será reavaliada e adequada. A ideia é aproveitar a costa do Rio Paraná, na região da fronteira, como atrativo turístico. Tudo dentro de um planejamento de segurança e de um plano diretor.
“Estamos abraçando Foz do Iguaçu, toda a região, e todo o Brasil, já que Foz é uma cidade cosmopolita, com gente de todas as partes do mundo. Temos também o cuidado da empresa, comandada pelo general Silva e Luna, com as pessoas mais vulneráveis. Tudo isso reforça o perfil de uma empresa responsável com o município, onde está localizada sua sede”, destacou.

Transferência da Fibra
Por fim, o assessor falou da migração da Fibra, Fundo previdenciário e assistência de empregados e aposentados de Itaipu, para Foz do Iguaçu. A transferência de 33 empregados da fundação em dezembro de 2020 conclui um processo de unificação de todas as unidades antes espalhadas da empresa em Foz.  

“Agora, a cidade é, de fato, sede da usina. Antes era uma espécie de sucursal”, concluiu. “O importante é que todas essas iniciativas, medidas e obras têm um viés social de manutenção e geração de empregos, numa época em que muitas pessoas estão precisando de oportunidade.


Bolsonaro deve voltar
Foto: Rubens Fraulini - Assessoria Itaipu

Aureo Ferreira também informou que o presidente Jair Bolsonaro, que já esteve cinco vezes em Foz do Iguaçu (e seis no Paraná), no exercício de seu mandato, deverá voltar à fronteira para inaugurar algumas das obras estruturantes ainda em 2021.


Natal de Luzes movimenta economia em Foz do Iguaçu
Além dos 100 trabalhadores contratados, celebração garantiu o Natal de comerciantes da região e impulsionou o turismo na cidade

Foto: Sara Cheida/Assessoria Itaipu

O Natal de Luzes de Itaipu, que encantou iguaçuenses e turistas de 5 de dezembro de 2020 a 5 de janeiro de 2021, deixou mais do que belas imagens e momentos inesquecíveis. Para os cerca de cem trabalhadores envolvidos diretamente no espetáculo, foi a garantia de um final de ano farto após vários meses de pandemia.

Além daqueles que apoiaram diretamente, na montagem e organização da iniciativa, também foram beneficiados artistas culturais locais contratados para encantar o público com alegria e brincadeiras.

Indiretamente, a celebração possibilitou a movimentação da economia de todo o entorno da Catedral Nossa Senhora de Guadalupe, beneficiando também comerciantes de alimentos e bebidas e vendedores ambulantes.

“O Natal de Luzes foi excelente pra gente. Por mais que tenha a pandemia, acabou nos ajudando no lado financeiro. Se não fosse pela covid-19, teria sido melhor ainda. A ceia de fim de ano foi farta pra nós”, disse o vendedor ambulante Willian Peffer, 29 anos. Ele e a esposa, Camila Prado, de 22 anos, estimam ter atendido cerca de 300 pessoas por dia, com mais movimento aos finais de semana. 

“Todo mundo que veio aqui elogiou a decoração. Tivemos muitos paraguaios e também turistas de outros lugares”, conta. Na banca do casal, os carros-chefe das vendas foram os cachorrinhos de pelúcia e os balões de led, seguidos pelos lançadores de bolhas de sabão. Foto: Sara Cheida/Assessoria Itaipu


O vendedor ambulante Zaeli Lopes Ferreira, 49 anos, também celebrou os resultados do Natal de Luzes. Mesmo com a pandemia, ele afirma que suas vendas foram melhores do que as do ano anterior, quando ficou no centro de Foz.

“Foi bem melhor do que dos outros anos, porque a decoração ficou mais concentrada e o público também, mesmo com distanciamento”, afirmou. “Vendi um tanto, mas não contei quantas peças. Sem o Natal de Luzes acho que não teria o mesmo rendimento, porque tem que haver um ponto de encontro para as pessoas e isso foi possível aqui”.Foto: Sara Cheida/Assessoria Itaipu


Encanto com segurança

Foto: Sara Cheida/Assessoria Itaipu

O Natal de Luzes também foi uma forma de incentivar o turismo, dentro dos esforços da campanha “Vem pra Foz”, desenvolvida pela usina e parceiros, dentro do Codefoz.

 Desenvolvido com base numa proposta de unir inovação, encantamento, agradecimento e manutenção de empregos, por decisão do diretor-geral brasileiro de Itaipu, general Joaquim Silva e Luna, o briefing do Natal foi feito pela Comunicação Social da Itaipu.

A iniciativa incluiu a projeção mapeada na fachada da catedral (por meio da técnica de video mapping, exibida até o dia 23 de dezembro) e o circuito de decoração drive-thru, atendendo as recomendações de distanciamento social em função da pandemia da covid-19. Mais de 12,8 mil veículos passaram pelo local.

Para Silva e Luna, a adesão das pessoas comprova o sucesso da iniciativa. “Com inovação e responsabilidade, é possível encontrar uma solução satisfatória para os problemas da cidade e beneficiar toda a nossa gente”, disse.

Postagens mais visitadas deste blog

COLUNA SOCIAL Foz em Destaque - Edição CLXXI

  DESTAQUE DO DIA

Amigas de Das Graças promovem rifa de jóias em apoio ao trabalho e memória da colunista social e fotógrafa

Tudo começou ainda durante a pandemia. Com os trabalhos do filho Marco Antonio pautados em eventos e turismo, as dificuldades claro bateram na porta, e além da venda de um dos automóveis que a família tinha, algo mais precisava ser feito para quitar os compromissos e dívidas inerentes de um ano praticamente sem trabalho, em casa, Das Graças e seu filho Marco. Este grupo de amigas conta que mesmo em vida, Das Graças pensava em usar as joias para ajudar nas despesas domésticas e de saúde. No entanto, a saúde da colunista se agravou e sobreveio o internamento e a cirurgia.  Pensando em se desfazer de alguma forma de peças de joias que tinha enquanto presente nas festas de nossa sociedade, Das Graças acionou sua estimada amiga, Sílvia Rodrigues, para que a ajudasse na empreitada, o que foi de pronto atendida.  As joias -  As três peças que serão rifadas, eram relíquias da família  que ela ostentava nas grandes festas da sociedade que participava, ao longo da gloriosa carreira de colunismo

COLUNA SOCIAL Foz em Destaque - Edição CLXXVIII

DESTAQUE DO DIA Aniversários