Pular para o conteúdo principal

PLANTÃO CORONAVIRUS: TODOS JUNTOS CONTRA A PROPAGAÇÃO

Rastreador COVID-19
O que você precisa saber e fazer
O que é coronavírus?
Coronavírus (CID10) é uma família de vírus que causam infecções respiratórias. O novo agente do coronavírus foi descoberto em 31/12/19 após casos registrados na China. Provoca a doença chamada COVID-19. Como nunca tivemos contato com o vírus antes, não temos imunidade.Ela causa uma infecção pulmonar. Nos casos mais leves, porém, parece um resfriado comum ou uma gripe leve.
Os primeiros coronavírus humanos foram isolados pela primeira vez em 1937. No entanto, foi em 1965 que o vírus foi descrito como coronavírus, em decorrência do perfil na microscopia, parecendo uma coroa.
A maioria das pessoas se infecta com os coronavírus comuns ao longo da vida, sendo as crianças pequenas mais propensas a se infectarem com o tipo mais comum do vírus. Os coronavírus mais comuns que infectam humanos são o alpha coronavírus 229E e NL63 e beta coronavírus OC43, HKU1.

Período de incubação do coronavírus
Período de incubação é o tempo que leva para os primeiros sintomas aparecerem desde a infecção por coronavírus, que pode ser de 2 a 14 dias.

Como se prevenir do coronavírus?
Com o aumento no número de casos confirmados no Brasil, o Ministério da Saúde reforçou os cuidados que ajudam na prevenção
A Organização Mundial da Saúde (OMS) declararou como pandemia a proliferação do novo coronavírus (Covid-19), e de lá para cá o número de casos, de mortes e o número de países afetados cresceu vertiginosamente. E como se prevenir do coronavírus é algo extremamente necessário e pode ser fator de sobrevivência.
A transmissão acontece de uma pessoa doente para outra ou por contato próximo por meio de:
  • O toque do aperto de mão é a principal forma de contágio
  • Gotículas de saliva
  • Espirro
  • Tosse
  • Catarro
  • Objetos ou superfícies contaminadas como celulares, mesas, maçanetas, brinquedos e teclados de computador etc.
A contenção do vírus é um desafio por conta da facilidade de transmissão. Ao tossir ou espirrar, uma pessoa infectada expele gotículas, que contaminam objetos e outras pessoas. Além disso, como trata-se de um vírus novo, nossos corpos ainda não possuem defesas naturais para enfrentá-lo.

Cuidados para prevenir o coronavírus
O Ministério da Saúde reforçou as medidas que reduzem o risco geral de contrair ou transmitir infecções respiratórias agudas. Neste cenário, a prevenção ainda é a melhor saída. Os cuidados são básicos e devem ser adotados mesmo por pessoas que não se consideram expostas ao risco, pois os números mundiais mostram que o perigo se mostra presente para todos.
Entre elas, estão:
Manter o distanciamento social: Manter pelo menos 1 metro de distância entre você e outras pessoas, principalmente aquelas que tossem e espirram, evita que você entre em contato com pequenas gotículas que contêm o vírus e também inale o vírus. Além disto, evitar contato próximo com pessoas que sofrem de infecções respiratórias agudas;
Lavar as mãos: A higiene com água e sabão ou álcool gel elimina o vírus, se este estiver nas mãos.
Praticar a etiqueta respiratória: Ao tossir ou espirrar,  é importante cobrir a a boca e o nariz com lenço descartável ou com o cotovelo flexionado, pois impede a propagação de germes e vírus. Se espirrar ou tossir com as mãos, poderá contaminar objetos ou pessoas em que tocar.  Realizar lavagem frequente das mãos, especialmente após contato direto com pessoas doentes ou com o meio ambiente;
Lavar bem as mãos é uma das formas de prevenção
Evite tocar nos olhos, nariz e boca: Por quê? As mãos tocam muitas superfícies que podem estar contaminadas com o vírus. Se você tocar nos olhos, nariz ou boca com as mãos contaminadas, poderá transferir o vírus da superfície para si mesmo.
  • Se atente aos cuidados, sua vida e a vida de quem você ama pode depender deles:
  • Utilizar lenço descartável para higiene nasal;
  • Cobrir nariz e boca quando espirrar ou tossir;
  • Evitar tocar mucosas de olhos, nariz e boca;
  • Higienizar as mãos após tossir ou espirrar;
  • Não compartilhar objetos de uso pessoal, como talheres, pratos, copos ou garrafas;
  • Manter os ambientes bem ventilados;
  • Evitar contato próximo a pessoas que apresentem sinais ou sintomas da doença;
  • Profissionais de saúde devem utilizar medidas de precaução padrão, de contato e de gotículas (máscara cirúrgica, luvas, avental não estéril e óculos de proteção).
Ao chegar em casa
Apesar de não existir um estudo que comprove quanto tempo o coronavírus Sars-Cov-2 permanece em roupas e tecidos, a recomendação dos especialistas é adotar medidas de precaução: quando chegar em casa, é importante retirar a roupa utilizada na rua e não misturar com as demais.
Em caso de uma eventual contaminação, a separação evita que o vírus transite de uma superfície para outra. Segundo informações do Grupo Multidisciplinar para Enfrentamento da Covid-19, criado pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), sempre quando chegar da rua é recomendado que todas as roupas sejam trocadas imediatamente. A roupa e o calçado deve ser retirado na chegada em casa, para não circular com o sapato sujo.
É necessário também lavar ou separar as peças usadas em um local apropriado antes que ela seja reutilizada. Não é recomendado guardar as roupas usadas junto com outras peças.
Flavio Fonseca, virologista e integrante do centro de pesquisa em vacinas da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), explica que não há estudos sobre a permanência deste vírus em diferentes tipos de tecidos. Mas os trabalhos com outros patógenos apontam que, de forma geral, os vírus podem ter sobrevida de 72 a 96 horas nos panos.
“Como os tecidos são porosos, muitas vezes os materiais orgânicos - gotículas de saliva, secreções respiratórias - ficam retidos nos poros e às vezes fica limitada a acessibilidade do sabão e da água. A proteção desses poros aumenta a sobrevida do vírus de 72 a 96 horas” - Flavio Fonseca.
Flavio reforça a importância de não transitar em casa com as roupas utilizadas na rua. "Uma boa alternativa defendida por muitos especialistas é manter duas categorias: roupas para usar em casa e roupas para utilizar na rua".

Devo usar máscaras para me proteger?
CORONAVÍRUS: O QUE A OMS DIZ SOBRE O USO DE MÁSCARAS
O uso de máscaras ainda não é uma recomendação para a população em geral se prevenir do coronavírus, apenas para pessoas que apresentem os sintomas, para que essas evitem a transmissão. Além dos infectados com o vírus, cuidadores desses doentes e profissionais de saúde também são orientados a fazerem uso desse recurso.

Sintomas de coronavírus
Os sintomas mais comuns são a  febre e tosse,  com dificuldade para respirar, dentre outros sintomas gripais Sempre que você tiver febre, tosse e dificuldade em respirar, é importante dar uma atenção, pois isso pode ocorrer devido a uma infecção respiratória ou outra condição séria.
Se aparecerem os sintomas acione o plantão coronovirus de nossa cidade. Importante, não se dirija a unidade de saúde sem antes fazer este contato prévio, isto iria contra as normas mundiais de prevenção e saúde.

Saiba mais sobre os sintomas e formas de transmissão aqui.

Os sintomas respiratórios podem ter várias causas e, dependendo do seu histórico e circunstâncias pessoais, o Covid-19 pode ser um deles. Os sinais e sintomas do coronavírus são principalmente respiratórios, semelhantes a um resfriado, com febre, tosse e dificuldade para respirar. O Covid-19 pode, também, causar infecção do trato respiratório inferior, como as pneumonias.

Plantão Coronavirus em Foz do Iguaçu:
Não saia de casa sem entrar em contato por um dos números:
Fixo: 
(45) 3521-1800

Ligações e Whatsapp:
(45) 9 9997-5251;
(45) 9 9997-5150;
(45) 9 9997-5335;
(45) 9 9992-0550;
(45) 9 9997-5111;
(45) 9 9975-5257.

Os números do mundo

Plantão Coronavirus Brasil

Postagens mais visitadas deste blog

Amigas de Das Graças promovem rifa de jóias em apoio ao trabalho e memória da colunista social e fotógrafa

Tudo começou ainda durante a pandemia. Com os trabalhos do filho Marco Antonio pautados em eventos e turismo, as dificuldades claro bateram na porta, e além da venda de um dos automóveis que a família tinha, algo mais precisava ser feito para quitar os compromissos e dívidas inerentes de um ano praticamente sem trabalho, em casa, Das Graças e seu filho Marco. Este grupo de amigas conta que mesmo em vida, Das Graças pensava em usar as joias para ajudar nas despesas domésticas e de saúde. No entanto, a saúde da colunista se agravou e sobreveio o internamento e a cirurgia.  Pensando em se desfazer de alguma forma de peças de joias que tinha enquanto presente nas festas de nossa sociedade, Das Graças acionou sua estimada amiga, Sílvia Rodrigues, para que a ajudasse na empreitada, o que foi de pronto atendida.  As joias -  As três peças que serão rifadas, eram relíquias da família  que ela ostentava nas grandes festas da sociedade que participava, ao longo da gloriosa carreira de colunismo

COLUNA SOCIAL Foz em Destaque - Edição CLXXX

DESTAQUE DO DIA

Postagens COLUNA SOCIAL - Edição CXCI

DESTAQUE DO DIA