Pular para o conteúdo principal

HMCC - HOSPITAL COSTA CAVALCANTI É RECONHECIDO NACIONALMENTE E RECEBE INVESTIMENTOS

Hospital Costa Cavalcanti
Os bons serviços prestados à comunidade confirmam o status de referência atingido pelo hospital.
No neonatal, diferenciais como a Unidade de Terapia Intensiva (UTI) Neonatal e a Unidade de Cuidado Intermediário (UCI) Neonatal, cada uma com 10 leitos, quatro leitos da UCI Mamãe-canguru, para quando é necessário que as mães permaneçam junto com os recém-nascidos, firmam o HMCC como referência no Brasil...

Somente nesta unidade, trabalha uma equipe de 30 técnicos de enfermagem, quatro enfermeiros, 13 médicos plantonistas, além de fisioterapeuta, fonoaudiólogo, nutricionista, farmacêutico, assistente social e psicólogo, que se revezam nos cuidados com os bebês e suas famílias.

Ao todo, são realizados cerca de 400 partos por mês. Com o título de “Hospital Amigo da Criança”, a unidade hospitalar promove ainda cursos para gestantes, campanhas de aleitamento e mantém o Banco de Leite Humano de Foz do Iguaçu, que beneficia cerca de 300 bebês por mês.
INVESTIMENTOS
Os novos investimentos deverão permitir elevar ainda mais o padrão alcançado com esta trajetória de trabalho da unidade hospitalar. Assim, o Hospital Ministro Costa Cavalcanti (HMCC) inicia suas obras de ampliação – com investimento de R$ 64,7 milhões da Itaipu Binacional – ainda em 2020. Com este investimento, o HMCC irá aumentar o número de leitos dos atuais 202 para 260 e, posteriormente, para 280. A área construída, de 25 mil metros quadrados (m²), ganhará outros 12 mil m², além da reforma de 8 mil m² da estrutura atual. Os investimentos têm o principal objetivo de dar sustentabilidade às atividades do hospital no longo prazo, quando também o quadro de profissionais deve aumentar dos atuais 1.000 para cerca de 1.350.

Na primeira fase, começará a construção dos novos laboratório e serviço de nutrição, além da ampliação da Oncologia e do serviço de imagem. Para o segundo semestre, a expectativa é dar a largada para a principal estrutura a ser construída, a nova Unidade Materno-infantil, que terá 8 mil metros quadrados.

Uma das estratégias adotada pelo hospital para atender à demanda por novos profissionais de enfermagem foi firmar uma parceria com a Uniamérica para a criação de um novo curso técnico nessa área. Os estudantes farão a parte prática no próprio hospital. A primeira turma começa no próximo mês de março e deverá se formar no final de 2021.

Os investimentos permitiram também que o Costa siga como referência também em diversas áreas, como o tratamento a pacientes de câncer do Centro de Oncologia HMCC, setor com cerca de 10 mil pessoas atendidas nos últimos 10 anos (hoje, temos aproximadamente 1.300 pacientes em tratamento).


CORONAVIRUS
LUTA CONTRA A PANDEMIA DO COVID-19
Mantido pela usina de Itaipu, o Hospital Ministro Costa Cavalcanti (HMCC), em Foz do Iguaçu (PR), é considerado relevante pelo Hospital Israelita Albert Einstein no atendimento à covid-19. Todos os protocolos adotados pelo HMCC foram feitos com base na experiência do trabalho do centro médico de São Paulo, um dos mais respeitados do mundo.
Com um caso de internamento de covid-19 no Costa Cavalcanti, o diretor técnico do HMCC, Rodrigo Romanini, estabeleceu uma interlocução com o Hospital Albert Einstein, que atendeu o primeiro portador de coronavírus no Brasil, em 24 de fevereiro, para se certificar se os protocolos adotados em relação ao atendimento do paciente seguiam padrão igual ao da sociedade beneficente israelita. A resposta foi positiva.

A importância de o Costa Cavalcanti seguir os protocolos do Albert Einstein também é pela experiência que a instituição já conquistou na luta contra a covid-19. O hospital vem se preparando para atender casos do novo coronavírus desde o início da epidemia na China, e já pronto para fazer o diagnóstico e tratar pacientes contaminados pelo vírus de acordo com as rigorosas regras determinadas pelos protocolos de segurança do Centers for Disease Control and Prevention (CDC), dos Estados Unidos, da Organização Mundial de Saúde (OMS) e do Ministério da Saúde.

Centro latino-americano de referência em saúde, o Albert Einstein está usando todo o seu conhecimento e experiência na atuação em situações semelhantes para garantir o atendimento de excelência e a máxima segurança a pacientes, seus familiares, profissionais da instituição e todas as pessoas que circulam por suas unidades.

A reestruturação de todos os fluxos de atendimento no Hospital Ministro Costa Cavalcanti segue esses protocolos, que incluem desde a recepção de pacientes até a criação de uma ala especial para os portadores de covid-19. A exemplo do Alberto Einstein, o Costa Cavalcanti também montou uma central de inteligência que reúne alguns dos melhores profissionais do seu corpo clínico, para avaliar tudo o que está sendo publicado sobre a covid-19, as novas normas no Brasil e no mundo, as alterações nos protocolos e outras informações importantes.

Além da interlocução com a instituição de São Paulo, a Fundação Itaiguapy também mantém parcerias com o Hospital Municipal Padre Germano Lauck e demais instituições hospitalares da região. Para esta quarta-feira (8), está prevista a chegada de cerca de 2 mil testes de Real Time – PCR, que fazem diagnóstico da covid-19 em até duas horas. Todos esses testes serão colocados à disposição da Vigilância Epidemiológica para atendimento dos pacientes suspeitos. O HMCC adquiriu 4 mil kits no total.

Os novos testes
O fluxo e distribuição desses testes serão definidos pelo Laboratório Central do Estado (Lacen). Eles serão utilizados para identificação da doença em pacientes internados no HMCC e no Hospital Municipal. Os testes serão colocados à disposição do município sem nenhum custo. O HMCC tem capacidade para fazer até 480 exames desse tipo por dia. É um dos únicos do interior do Paraná credenciados para fazer essa testagem. 

Os casos
De acordo com o último boletim divulgado pela Vigilância Epidemiológica nesta terça-feira, 7, Foz do Iguaçu tem 28 casos da doença. Atualmente, 51 estão sendo investigados. Duas pessoas estão internadas, uma delas no HMCC, que conta uma ala exclusiva para internamento de pacientes com a doença. São 27 leitos, 15 só na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e 12 de semi-intensiva.

Dois pacientes curados
José Marcos Saraiva tem 56 anos e ficou internado no Hospital Costa Cavalcanti por 17 dias; ele recebeu alta nesta quinta-feira (16). Matéria completa.
A paciente de 63 anos, internada desde 9 de abril, pôde voltar para casa nesta sexta-feira (24), oito dias depois do paciente de número 1 da covid-19 ter sido liberado pelo centro hospitalar.

O HMCC está repassando para Foz e região equipamentos de proteção individual, máscaras cirúrgicas, luvas e monitores, entre outros. Também fez um convênio com um hotel para hospedagem de profissionais de saúde que atuam na linha de frente do combate à pandemia.

Centro Clínico do HMCC se adequando a realidade do momento em que vivemos...

Com a reestruturação, o Hospital Costa Cavalcanti tem agora dois prontos atendimentos, um para pacientes sem sintomas respiratórios, que funciona no Centro Clínico, e o outro voltado para os casos de sintomas respiratórios, anexo ao HMCC.

RECONHECIMENTO
Um dos fatores que atestam os bons serviços prestados pelo Costa Cavalcanti, é o fato do hospital encontrar-se entre os poucos hospitais brasileiros (apenas 3,5%) que atingiram o nível 3 de acreditação (uma espécie de certificação da qualidade para serviços hospitalares). Acima do nível 3, existe somente a acreditação internacional.  O HMCC orgulha-se de ser o primeiro hospital do interior do Paraná a receber a certificação de qualidade de serviços de saúde da Organização Nacional de Acreditação (ONA).

E o HMCC agradece e faz questão de estar ao lado de iniciativas que nascem da comunidade, como o Café Onco Foz e também o Baile Rosa, que em sua última edição em 2019 arrecadou doações para a compra de cadeiras para os acompanhantes dos pacientes de câncer pelo SUS.



LIVRO
TRAJETÓRIA DO HOSPITAL COSTA CAVALCANTI
Obra mostra a história, funcionamento e projetos do hospital que se tornou referência no atendimento à saúde na região Oeste do Paraná.

A direção do Hospital Ministro Costa Cavalcanti (HMCC) lançou ainda no ano passado, o livro Uma trajetória de cuidados – 40 anos salvando vidas. A obra celebra os 40 anos da instituição, completados no último mês de julho, e os 25 da Fundação Itaiguapy (instituição responsável pela gestão da unidade hospitalar), no último dia 26 de outubro. 

A obra foi idealizada ainda na gestão do então diretor-superintendente do HMCC, Rogério Soares Böhm, hoje chefe da Assessoria de Planejamento da Itaipu e que dedicou 15 anos de sua carreira ao hospital. Emocionado, ele agradeceu pela dedicação e comprometimento dos colaboradores e de todos aqueles que contribuíram para que o HMCC se tornasse uma referência regional no atendimento hospitalar.
Durante o lançamento, diretores do hospital fizeram entrega de livros a personagens importantes dentro do cenário vivido pelo HMCC: Dr. Luiz Rene Sarraf (representando os médicos)...
...à funcionária do serviço de nutrição Dilma Rodrigues (em nome dos demais colaboradores)...
...à jornalista Deborah Black Nascimento (responsável pela organização da publicação)...
...e ao idealizador do projeto, Rogério Böhm...
...que recebe também os cumprimentos do DGB General Silva e Luna.
A solenidade foi realizada no Centro Clínico do HMCC e contou com a presença dos integrantes da diretoria e dos conselhos fiscal e curador do hospital, diretores da Itaipu, vereadores e o presidente do Conselho Municipal de Saúde.



ARTIGO/HISTÓRIA
40 anos da construção do Hospital de Itaipu 
Por: Hugo José Ribas Branco*

Na comemoração do aniversário da construção do Hospital Itaipu, quero reverenciar a épica batalha para a construção do hospital (obras civis), o que permitiu a execução do projeto e construção no período recorde de 330 dias. 

Trata-se da execução de um projeto voltado para o aspecto social e de saúde, em atendimento aos milhares e milhares de pessoas que participavam ou iriam participar da construção de Itaipu. 
É importante ratificar neste momento a prioridade incontestável que a Entidade Binacional, desde o início dos tempos, sempre dirigiu para todos os funcionários envolvidos e seus familiares, na construção da barragem: saúde, ensino, habitação e bem-estar social. 

Segue o histórico, memória minha e do meu assistente, engenheiro Marcio Thaumaturgo, responsável pela construção do hospital.

***
A Itaipu Binacional contratou a Unicon, Consórcio da Construção Civil da Hidrelétrica, para executar a obra sob o regime de contrato por administração. Pela Entidade Binacional a coordenação coube ao engenheiro Roberto Madalozzo. 

A Unicon determinou que a obra fosse executada pelo Departamento de Construção Civil, que eu chefiava na oportunidade.

Vamos à fantástica batalha da construção.

Procuramos o engenheiro Madalozzo (Itaipu), responsável pela execução da obra pela Entidade. 
Nossa proposta foi imediatamente aprovada por ele: definimos de comum acordo que não poderíamos perder um dia sequer no prazo da construção do Hospital de Itaipu. Isso poderia causar a morte, seja de vítimas de acidentes na obra, seja em função do atendimento na área da saúde, da imensa e crescente população das vilas residenciais, Brasil e Paraguai que, estimo, chegou a 120.000 pessoas.

O compromisso assumido, acima de qualquer obrigação contratual, foi de 360 dias; admito uma meta impossível de cumprir, a menos que fossem adotadas e autorizadas ações excepcionais propostas e aprovadas pelo engenheiro Madalozzo.

Iniciamos a obra em janeiro de 1978 e concluímos a execução em novembro de 1978.  Após, houve um período para Itaipu adquirir todo o mobiliário e a instalação dos sofisticados equipamentos previstos no projeto e, assim, o hospital iniciou a operação em julho de 1979.

***
Perfil do esquema de trabalho que determinou a construção do hospital em 11 meses, 330 dias:
- 1.200 funcionários.
- Três turnos de trabalho de oito horas, 24 horas por dia, de segunda a segunda feira.
- Instalamos quatro torres de iluminação que permitiram a “luminosidade noturna” em nível superior à “luminosidade diurna”.
- O sofisticado perfil arquitetônico de “concreto aparente”, “tijolo à vista” e afins não menos sofisticados, exigia a rigorosa aquisição de materiais especificados de primeira qualidade, desprezando-se, inclusive, o reaproveitamento de materiais e o custo benefício, para cumprirmos o cronograma no prazo máximo de 360 dias.

***
O projeto inicial executado contemplava uma área construída de 12.000m² e 120 leitos. Atualmente, após três ampliações sucessivas, a área construída é 24.000m² e 202 leitos: o hospital é hoje uma referência regional e nacionalmente.

Nos 40 Anos da Construção do Hospital Itaipu, é obrigatório expressar a perfeita sintonia e sinergia dos executivos, engenheiros e técnicos de Itaipu, liderados por Roberto Madalozzo, com os executivos, engenheiros e técnicos do Departamento de Construção Civil da Unicon, sem o que a missão não seria cumprida em tempo hábil.

A maior e justa homenagem, entretanto, nesta oportunidade, deve ser dirigida para os operários que, em 1978, participaram da execução desse notável empreendimento, não medindo esforços acima de interesses pessoais, trabalhando diuturnamente, para que o crítico cronograma fosse cumprido.

Tenho a certeza que o prazo mínimo assumido (360 dias) e cumprido (330 dias), para a execução das obras do Hospital Itaipu, permitiu que posteriormente a competente e diferenciada operação da medicina da Entidade Binacional tenha iniciado em tempo hábil as suas extraordinárias ações para salvar vidas humanas de todos os envolvidos, brasileiros e paraguaios, na construção da Hidrelétrica de Itaipu.

Quando o Hospital Ministro Costa Cavalcanti se apresenta como um aparato imprescindível para nossa comunidade no momento em que vivemos, tenho a absoluta certeza que o dever cumprido no passado continuará pautando o futuro de sucesso dessa espetacular unidade hospitalar.

Hugo José Ribas Branco é Oficial do Exército da Arma de Engenharia, graduado pela AMAN, Academia Militar das Agulhas Negras e Engenheiro Civil e Militar graduado pelo IME, Instituto Militar de Engenharia. Como executivo da Unicon, Consórcio para Construção Civil de Itaipu, desempenhou as funções de chefe Departamento de Construção Civil e Superintendente Administrativo. 



SERVIÇO:
Fone: (45) 3576-8000 
Av. Gramado, 580 - Vila A, Foz do Iguaçu - PR

Postagens mais visitadas deste blog

Amigas de Das Graças promovem rifa de jóias em apoio ao trabalho e memória da colunista social e fotógrafa

Tudo começou ainda durante a pandemia. Com os trabalhos do filho Marco Antonio pautados em eventos e turismo, as dificuldades claro bateram na porta, e além da venda de um dos automóveis que a família tinha, algo mais precisava ser feito para quitar os compromissos e dívidas inerentes de um ano praticamente sem trabalho, em casa, Das Graças e seu filho Marco. Este grupo de amigas conta que mesmo em vida, Das Graças pensava em usar as joias para ajudar nas despesas domésticas e de saúde. No entanto, a saúde da colunista se agravou e sobreveio o internamento e a cirurgia.  Pensando em se desfazer de alguma forma de peças de joias que tinha enquanto presente nas festas de nossa sociedade, Das Graças acionou sua estimada amiga, Sílvia Rodrigues, para que a ajudasse na empreitada, o que foi de pronto atendida.  As joias -  As três peças que serão rifadas, eram relíquias da família  que ela ostentava nas grandes festas da sociedade que participava, ao longo da gloriosa carreira de colunismo

COLUNA SOCIAL Foz em Destaque - Edição CLXXX

DESTAQUE DO DIA

Postagens COLUNA SOCIAL - Edição CXCI

DESTAQUE DO DIA