Pular para o conteúdo principal

MARCELINHO MOURA É EMPOSSADO VEREADOR EM FOZ

Suplente assumiu em lugar do Tenente-Coronel Jahnke (Podemos) que foi nomeado Secretário de Governo do Município

O suplente Marcelinho Moura (Podemos) assumiu na manhã desta terça-feira (13) o cargo de vereador em lugar de Tenente-Coronel Jahnke (Podemos), nomeado Secretário de Governo no Executivo Municipal. “Agradeço primeiramente a Deus por me dar a oportunidade de chegar onde cheguei e em especial meus pais, meu filho e a minha filha. Agradeço também a todos da casa que sempre foram parceiros desde que entrei como assessor do Tenente-Coronel Jahnke, homem probo, irmão de verdade, sem vaidades e que me deu oportunidade de poder estar aqui com vocês”, elogiou.

No primeiro pronunciamento, Marcelinho pregou o diálogo e união do Legislativo e falou sobre os seus colegas vereadores destacando as qualidades de cada um. Em aparte sobre os problemas causados pelo trânsito de caminhões no centro da cidade, Marcelinho elogiou a postura, segundo ele, republicana, de Celino Fertrin que sugeriu mobilização da casa. O objetivo comum é para que efetivamente a obra do Contorno Leste seja executada, desviando o trânsito de caminhões do centro da cidade.
Moura propôs que sejam convocados os setores para uma audiência pública, unir todos os representantes de partidos, prefeito e vereadores no sentido de fortalecer a atuação dos deputados federais e estaduais para conquista da obra. “Tive a informação de que há licitação sendo concluída para a primeira etapa de obras nesse sentido e vamos em busca de que efetivamente isso aconteça”, disse o vereador empossado.

Biografia

Marcelinho Moura, 50 anos, formado em Direito, pai de dois filhos, Maria Eduarda e Marcelo Moacir. Empreendedor em Foz do Iguaçu há mais de 46 anos junto com sua família. Nascido em Goioerê no interior do Paraná vindo com seu pais, Moacir Marcolino Moura e Eleuza Araujo Moura, que vieram para Foz tentar uma nova historia para a família. Com muito esforço e dedicação conseguiram se estabelecer na cidade num trabalho digno e de muita honestidade.

Marcelinho que relatou que como nem tudo são flores, nove anos de sua jovialidade se perderam no mundo das drogas, mas isso lhe rendeu um grande aprendizado, que não deve ser ensinado mas sim evitado. Montou então uma casa de recuperação em março de 1995 por nome de "Projeto Vida", e com esse despertar do valor da vida decidiu mostrar com sua recuperação dando exemplo para ele mesmo e para a cidade de Foz do Iguaçu.

Resolve com força de vontade e muito trabalho dar a volta por cima e conquistar uma nova vida. “É possível, basta acreditar”, afirmou. Com esse trabalho, Marcelinho pode ajudar mais de 7200 jovens que se passavam pelo mesmo vicio que ele teve no passado.

Trajetória política
Com o intuito de dar o melhor para a cidade concorreu ao cargo de vereador pela primeira vez e com isso logrando êxito sendo vereador de 2001 a 2004 onde pode através de vários projetos contribuir para o turismo e o desenvolvimento da cidade. De 2005 a 2010 foi alocado para ser Diretor do IML de Foz do Iguaçu, ali sim pode dar a dignidade que as famílias quando perdiam seus entes queridos não tinham, estruturando, colocando sala para as pessoas serem atendidas com dignidade e dando aos mais necessitados o acesso que tanto lhes faltava.

“E agora com o desejo maior de mudança e mais preparado depois de 10 anos fora do Legislativo me sinto confiante em poder através do meu trabalho contribuir para o desenvolvimento da cidade e de todos que aqui moram, buscando mais infraestrutura principalmente no turismo que é o nosso maior e melhor gerador de emprego”, concluiu. 

Postagens mais visitadas deste blog

Amigas de Das Graças promovem rifa de jóias em apoio ao trabalho e memória da colunista social e fotógrafa

Tudo começou ainda durante a pandemia. Com os trabalhos do filho Marco Antonio pautados em eventos e turismo, as dificuldades claro bateram na porta, e além da venda de um dos automóveis que a família tinha, algo mais precisava ser feito para quitar os compromissos e dívidas inerentes de um ano praticamente sem trabalho, em casa, Das Graças e seu filho Marco. Este grupo de amigas conta que mesmo em vida, Das Graças pensava em usar as joias para ajudar nas despesas domésticas e de saúde. No entanto, a saúde da colunista se agravou e sobreveio o internamento e a cirurgia.  Pensando em se desfazer de alguma forma de peças de joias que tinha enquanto presente nas festas de nossa sociedade, Das Graças acionou sua estimada amiga, Sílvia Rodrigues, para que a ajudasse na empreitada, o que foi de pronto atendida.  As joias -  As três peças que serão rifadas, eram relíquias da família  que ela ostentava nas grandes festas da sociedade que participava, ao longo da gloriosa carreira de colunismo

COLUNA SOCIAL Foz em Destaque - Edição CLXXX

DESTAQUE DO DIA

Postagens COLUNA SOCIAL - Edição CXCI

DESTAQUE DO DIA