Pular para o conteúdo principal

GENERAL SILVA E LUNA É CONDECORADO COMO CIDADÃO HONORÁRIO DE FOZ DO IGUAÇU

Honraria é um reconhecimento aos impactos positivos de sua gestão na região
Entrega do título foi na Câmara Municipal, na manhã de terça-feira (24). 

Desde que foi nomeado pelo presidente da República, Jair Bolsonaro, para comandar a margem brasileira da Itaipu Binacional, em fevereiro de 2019, o general Joaquim Silva e Luna veio decidido a morar em Foz do Iguaçu. “Desde que aqui cheguei, nunca me senti um estranho. Senti que era de casa, graças à maneira calorosa dessa nossa gente”, afirmou o diretor-geral brasileiro nesta manhã de terça-feira (24), ao agradecer pelo título de Cidadão Honorário de Foz, concedido pela Câmara Municipal de Vereadores.


Ao se dirigir ao público, chamou os presentes de conterrâneos, mostrando a sinergia com a população de Foz e região. Para o evento, levou dez pessoas da equipe representadas por todas as diretorias de Itaipu. Uma forma de homenagear a todos os empregados da usina. A parte protocolar ficou a cargo da Câmara.
A cerimônia foi privativa, em função das medidas sanitárias da pandemia de covid-19, e contou com transmissão ao vivo nas páginas da Câmara nas redes sociais. 


A concessão do título é uma iniciativa do vereador Beni Rodrigues, presidente nesta legislação, em reconhecimento pelos relevantes serviços prestados pelo diretor – o primeiro a ocupar esse cargo que optou por fixar residência em Foz. 

A gestão de Silva e Luna à frente da margem brasileira da Itaipu é caracterizada pela administração rigorosa dos recursos da empresa, com o intuito de transformar os megawatts-hora (MWh) produzidos com eficiência pela usina em desenvolvimento, geração de emprego e renda, com forte marca de legado para a região. 

Ao fazer um retrospecto de um ano e dez meses na função, Silva e Luna diz: "De imediato, estabelecemos uma política de austeridade e transparência. Trouxemos toda a direção e o centro de gravidade da empresa para Foz. Reduzimos o escopo de alguns convênios e patrocínios e encerramos os que não tinham aderência à missão da Itaipu. Centralizamos estruturas replicadas, reduzimos despesas evitáveis, melhoramos a governança e criamos um forte espírito de equipe”.

Como resultado desse novo enfoque, a empresa direcionou R$ 1,4 bilhão a diversas ações, alinhadas com os governos federal, estadual e municipal. Entre as principais iniciativas estão a Ponte da Integração (segunda ponte entre Brasil e Paraguai), obras no Aeroporto de Foz do Iguaçu, ampliação do Hospital Ministro Costa Cavalcanti, Mercado Municipal, revitalização do Gramadão, duplicação da Rodovia das Cataratas, o projeto Vila A Inteligente, além de ações de apoio turismo e combate à pandemia de covid-19.

Além dos projetos estruturantes, o diretor afirmou que as mudanças na empresa, como a otimização dos recursos e maior sinergia entre as áreas, têm como objetivo preparar a Itaipu para o cenário pós-2023, em que a dívida contraída para a construção da usina estará paga, e ela se verá em um mercado de energia cada vez mais complexo, dinâmico e competitivo.

“A ltaipu é um exercício de busca permanente de convergências e de construção de consensos; é um fator de desenvolvimento regional; é uma fronteira que une dois povos; é um símbolo de amizade e confiança”, resumiu Silva e Luna, que nasceu em Barreiros (PE) e chegou à Itaipu após extensa carreira nas Forças Armadas, alcançando o cargo de chefe do Estado-Maior do Exército (2011-2014). Já na reserva, ocupou o posto de ministro da Defesa (2018-2019).

Ao agradecer pelo título de Cidadão Honorário, Silva e Luna estendeu a homenagem a todos os empregados da Itaipu, “do passado e do presente”. Ao homenagear o diretor, o vereador Beni Rodrigues destacou o fato de a proposta ter sido acatada por unanimidade na Câmara. “Me sinto muito honrado em conceder este título a uma pessoa que está fazendo tanto por Foz do Iguaçu. Toda a região tem muito a ganhar com a sua experiência, com a sua luta e com sua equipe de trabalho da Itaipu Binacional. Tenho certeza que nossa Foz, graças à atual gestão da usina, será a cidade do futuro”, afirmou.


Representando o corpo funcional da Itaipu, a cerimônia contou com a participação do diretor Administrativo, almirante Paulo Roberto da Silva Xavier; do assessor de Planejamento e Coordenação, Victor Hugo Marmelo dos Passos Filho (representando o diretor Financeiro, almirante Anatalico Risden Junior); do assistente do diretor Técnico Executivo, Juliano Portela (representando o diretor Celso Villar Torino); do assessor especial Theófanes de Lira Pessôa Junior (representando o diretor de Coordenação, general Luiz Felipe Carbonell); do assistente Aldry Lucena (representando a diretora Jurídica, Mariana Favoreto Thiele); do chefe de gabinete da Diretoria-Geral (DG) Brasileira, coronel Ricardo Bezerra; do assessor especial da DG, coronel Jorge Áureo Ferreira; pelo assistente da DG, capitão Arceli de Oliveira; pela assessora especial da DG, Carina Ferreira de Paula; pela chefe da Assessoria de Comunicação, Patrícia Iunovich, e pela secretária do diretor Silva e Luna, Mariza da Silva Guimarães.

Postagens mais visitadas deste blog

COLUNA SOCIAL Foz em Destaque - Edição CLXXI

  DESTAQUE DO DIA

Amigas de Das Graças promovem rifa de jóias em apoio ao trabalho e memória da colunista social e fotógrafa

Tudo começou ainda durante a pandemia. Com os trabalhos do filho Marco Antonio pautados em eventos e turismo, as dificuldades claro bateram na porta, e além da venda de um dos automóveis que a família tinha, algo mais precisava ser feito para quitar os compromissos e dívidas inerentes de um ano praticamente sem trabalho, em casa, Das Graças e seu filho Marco. Este grupo de amigas conta que mesmo em vida, Das Graças pensava em usar as joias para ajudar nas despesas domésticas e de saúde. No entanto, a saúde da colunista se agravou e sobreveio o internamento e a cirurgia.  Pensando em se desfazer de alguma forma de peças de joias que tinha enquanto presente nas festas de nossa sociedade, Das Graças acionou sua estimada amiga, Sílvia Rodrigues, para que a ajudasse na empreitada, o que foi de pronto atendida.  As joias -  As três peças que serão rifadas, eram relíquias da família  que ela ostentava nas grandes festas da sociedade que participava, ao longo da gloriosa carreira de colunismo

COLUNA SOCIAL Foz em Destaque - Edição CLXXVIII

DESTAQUE DO DIA Aniversários