Pular para o conteúdo principal

SINDHOTEIS de Foz do Iguaçu comemora 44 anos de trabalho

O SINDHOTÉIS - SINDICATO DE HOTÉIS, RESTAURANTES, BARES E SIMILARES DE FOZ DO IGUAÇU completou 44 anos de história e trabalho, defendendo os interesses dos meios de hospedagem, alimentação e serviços, além de buscar capacitar empresários e mão-de-obra para o setor que representa. A confraternização de aniversário do Sindhotéis foi marcada pelo clima de descontração e boas conversas. Associados e convidados celebraram os 44 anos do Sindicato de Hotéis, Restaurantes, Bares e Similares de Foz do Iguaçu e Região reverenciando as pessoas que ajudaram e ajudam a construir a história da entidade e a desenvolver o turismo do Destino Iguaçu.


DIRETORIA
Presidente: Neuso Morello RafagniN
Vice-Presidente: Camilo Perpétuo Rorato
Vice-Presidente para Assuntos de Hotelaria e Hospedagem: Nilson de Nadai
Vice-Presidente para Assuntos de Motéis: Sérgio José Bonetti
Diretor Secretário: Marcelo Antônio Martini
Diretor Tesoureiro: Marcos Antônio Beato

Suplentes:
André Rafagnin da Silva
Jaime Machado Mendes
Márcio Ramirez

CONSELHO FISCAL
Titulares
Nelson Luiz Seibt
Adélcio Rafagnin
Neiva Maria Pires

Suplentes
Luiz Aparecido Dameto
Carlos Ivan Spada
Ari Martignoni

DELEGADOS REPRESENTANTES
Titulares
Neuso Morello Rafagnin
Camilo Perpétuo Rorato

Suplentes
Marcelo Antônio Martini
Marcos Antônio Beato

História (fonte: site SINDHOTEIS)
Em 1974, a união dos empresários iguaçuenses em torno do mesmo objetivo: criar a Associação Profissional de Hotéis e Similares de Foz do Iguaçu – entidade que um ano depois daria origem ao Sindicato de Hotéis e Similares de Foz do Iguaçu. Na década de 70, a cidade estava em ebulição por conta de uma série de conquistas. Localizado no Extremo Oeste do Paraná, o município comemorava a conclusão da BR-277 (1969) e a inauguração da Ponte Internacional da Amizade (1965) e do Aeroporto Internacional Cataratas (1970). Os novos acessos por terra e ar facilitavam a vinda de turistas à Terra das Cataratas e renovavam os ânimos da população, formada por pouco mais de 30 mil pessoas.
Foz do Iguaçu também começava a escrever um dos capítulos mais importantes da sua história, com o início da construção da Itaipu Binacional. Nesse cenário, os empresários da hotelaria e gastronomia decidiram ser a hora de formar uma entidade representativa do setor, revela o jornal editado por Ignez Sanchez de Cristo. Afinal, a cidade já possuía dezenas de estabelecimentos de hospedagem e alimentação, inclusive com o funcionamento de grandes hotéis no centro e no corredor turístico. Era a oportunidade, então, de dar prosseguimento aos trâmites legais para concretizar a ideia.

Eleição da diretoria
A comissão organizadora da Associação de Hotéis e Similares de Foz do Iguaçu publicou edital no Mini-Informativo, em 1º de junho de 1974, chamando para assembleia no dia 7 de junho, na sede do Sindicato das Indústrias de Serrarias, Carpintarias e Tanoarias. Esta foi a ordem do dia: 1) fundação da entidade; 2) discussão e aprovação do estatuto; 3) fixação da mensalidade social; 4) eleição e posse da diretoria; 5) outros assuntos de interesse geral.

Em 7 de junho, reuniram-se 26 empresários da hotelaria e gastronomia iguaçuense, tendo como presidente da comissão organizadora o hoteleiro Faustino Ferreira Mendes. O encontro teve assistência do general Adalberto Massa, delegado regional do Ministério do Trabalho no estado do Paraná, além de autoridades locais. Avelino de Souza e Evandro Stelle Teixeira representaram o prefeito Clóvis Cunha Vianna.

Após a aprovação dos três primeiros itens da ordem do dia, abriu-se a inscrição para eleição da primeira diretoria, que iria conduzir a entidade pelo prazo de 90 dias. A chapa encabeçada pelo hoteleiro Santo Salvatti foi a vitoriosa. “Procedida a votação por escrutínio secreto, em obediência as normais legais, saiu vencedora a chapa dois”, revela ata registrada em cartório.

Uma das primeiras medidas de Santo Salvatti frente à associação foi comunicar formalmente, em 18 de junho de 1974, a Delegacia Regional do Trabalho do Estado do Paraná sobre a criação da Associação de Hotéis e Similares de Foz do Iguaçu, solicitando o registro legal da entidade. Com o pedido aceito, o Certificado de Registro de Associação Profissional foi conquistado em 19 de junho de 1974.

1ª diretoria da associação
Presidente: Santo Salvatti
Secretário: Douglas Andrade Gomes de Araújo
Tesoureiro: Faustino Ferreira Mendes
Suplente: Evaldo Buttura
Suplente: Alcides Ragassi
Suplente: Pedro Grad Roth
Conselho Fiscal: Olimpio Rafagnin
Conselho Fiscal: Arnaldo Chemin
Conselho Fiscal: Edgar Fengler
Suplente: Amaury Rainho
Suplente: Marco Aurélio de Figueiredo
Suplente: Joir Bastos de Souza

Estatuto define prerrogativas e deveres
Do ponto de vista histórico, é interessante notar os princípios, prerrogativas e deveres da associação. A entidade foi constituída para fins de estudo, coordenação e proteção com o intuito de colaborar com os poderes públicos e as demais associações, visando à solidariedade econômica e sua subordinação aos interesses nacionais.

Eram prerrogativas da associação: representar, perante as autoridades administrativas e judiciárias, os interesses individuais dos associados, relativamente à categoria de hotéis e similares; fundar e manter agências de colocação; colaborar com o estado como órgão técnico e consultivo; e colaborar na solução dos problemas que se relacionam com sua categoria.

Em relação aos deveres da associação: colaborar com os poderes públicos no desenvolvimento da solidariedade das classes; promover a função de coordenadora das atividades da classe; manter serviços de assistências judiciárias para os associados, visando à proteção da categoria econômica; e fundar e manter escolas, especialmente de ensino técnico e profissional.

A criação do Sindhotéis
Associação de Hotéis e Similares de Foz do Iguaçu, conforme previsto inicialmente, deveria eleger nova diretoria após os três meses da escolha da primeira diretoria provisória. E assim foi feito. Em 23 de setembro de 1974, os empresários da hotelaria e gastronomia iguaçuense elegeram os responsáveis por fazer a transformação da entidade em sindicato. Coube ao empresário Pedro Grad Roth a honra de escrever seu nome na história.

Já como presidente da associação, Pedro Grad Roth convocou, em 2 novembro de 1974, assembleia geral extraordinária para o dia 2 de dezembro, na sede social da entidade, localizada na Avenida Brasil, 1.205. Na ordem do dia: aprovação dos estatutos de reconhecimento como Sindicato de Hotéis e Similares de Foz do Iguaçu, de acordo com o artigo 518 da Consolidação das Leis do Trabalho.

Realizada a assembleia e aprovada a criação do sindicato, teve início a jornada para conquistar a carta sindical. No mesmo dia, Pedro Roth assinou ofícios endereçados ao delegado regional do Ministério do Trabalho no estado do Paraná, Adalberto Massa, e ao ministro do Trabalho, Arnaldo Prieto, requerendo o reconhecimento da entidade como Sindicato de Hotéis e Similares de Foz do Iguaçu.

A missiva foi acompanhada de uma carta do prefeito Clóvis Cunha Vianna endossando tal pedido, além de uma série de documentos, como atas, estatuto e lista de presença em assembleia. “A participação de toda diretoria foi fundamental para o êxito. Diretores como Paulo [Almeida Garcia] e o Douglas [Andrade Gomes Araújo] foram essenciais para a associação, sobretudo com grande contribuição histórica na parte organizativa dos documentos”, recorda Pedro Grad Roth.

Após muita luta, finalmente veio a conquista histórica: a criação do sindicato por parte do governo federal. Em 19 de maio de 1975, o ministro do Trabalho, Arnaldo Prieto, assinou a carta sindical. A data acabou adotada como o dia oficial de fundação do Sindhotéis. 

Desde então, todo 19 de maio é dia de comemoração para Foz do Iguaçu. O ato de tamanha magnitude foi, inclusive, reverenciado na festa de 30 anos do Sindhotéis. Em 2005, durante a gestão de Luiz Antonio Rolim de Moura, o ex-ministro do Trabalho foi convidado e participou da confraternização de três décadas da entidade. Durante o evento, Pedro Grad Roth entregou para Arnaldo Prieto uma placa com a reprodução da carta sindical como forma de eternizar a gratidão de toda uma cidade.

2ª diretoria da associação 
Presidente: Pedro Grad Roth
Secretário: Paulo Almeida Garcia
Tesoureiro: Edgar Fengler
Suplente: Faustino Ferreira Mendes
Suplente: Douglas Andrade Gomes Araújo
Suplente: Olimpio Rafagnin
Conselho Fiscal: Evaldo Buttura
Conselho Fiscal: Lucas Silveira
Conselho Fiscal: Santo Salvatti
Suplente: Estanley She Yo Wuo
Suplente: Jean Marmouret
Suplente: Miguel Serrano

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

COLUNA SOCIAL Foz em Destaque - Edição CXXIX

    DESTAQUE DO DIA

ALCEU VEZOZZO, fundador da Rede Bourbon, homenageado pela Associação Comercial do Paraná

O fundador da Rede Bourbon, Alceu Ântimo Vezozzo, recebeu a homenagem Cidadania ACP, da Associação Comercial do Paraná. O prêmio é concedido para cidadãos de reconhecida importância na sociedade paranaense e nacional. (Evento acontecido em Nov/2019) Premio - Homenagem ACP - Foto Jader Rocha Em seu discurso o presidente da ACP, Gláucio Geara, enalteceu as conquistas de Vezozzo na hotelaria e na ação social que desenvolve na cidade de Cambará, com o Instituto Bourbon.  Ao receber a homenagem o fundador da Rede Bourbon agradeceu a família e a Deus por todas as conquistas e enfatizou a importância de fazer o bem em todas as áreas da sociedade. “Fazer o bem através da hotelaria, através do Instituto Bourbon, através da escola, fazer o bem seja ele onde for”, finalizou o fundador. A família Vezozzo prestigiou seu patriarca nesta noite tão importante. Assinatura Homenagem  Abraço Alceu e Laila Vezozzo - Foto Jader Rocha  Alceu Vezozzo, Ana Amélia Filizola e Glau

COLUNA SOCIAL - Edição CCCXII

D E S T A Q U E