Pular para o conteúdo principal

CONSTRUÇÃO DA PONTE ENTRE BRASIL E PARAGUAI DEVE COMEÇAR ATÉ O DIA 20 DESTE MÊS

Últimos detalhes foram acertados nesta quarta-feira (12), pelo diretor-geral brasileiro da Itaipu, Joaquim Silva e Luna, e o governador do Paraná, Carlos Ratinho Massa Júnior.
Até o dia 20 deste mês deve começar a construção da Ponte da Integração Brasil – Paraguai. A segunda ponte entre os dois países foi um dos temas abordados nesta quarta-feira (12), entre o diretor-geral brasileiro da Itaipu, general Joaquim Silva e Luna, e o governador do Paraná, Carlos Ratinho Massa Júnior, em Foz do Iguaçu.
Alguns pequenos ajustes entre o Estado, a União e a Itaipu, que vai custear a obra, foram alinhados. A construção da ponte entre Foz do Iguaçu e Presidente Franco terá um custo previsto de R$ 448,6 milhões, incluindo acessos às duas aduanas que serão construídas e à BR-277 (Perimetral Leste).
A primeira etapa dos trabalhos inclui serviços preliminares, como, por exemplo, mobilização de equipamentos, contratação de pessoal e montagem do canteiro de obras. A segunda ponte movimentará toda a economia da região e gerará, num primeiro momento, 400 empregos. 
O Consórcio Construbase – Cidade – Paulitec, responsável pela construção da Ponte da Integração Brasil-Paraguai, recebeu quase 10 mil currículos para o preenchimento das 400 vagas ofertadas. 
A obra será gerida pelo governo do Paraná. A expectativa é que a ponte melhore todo o sistema modal da região, a fiscalização, qualidade e a segurança para quem trafega entre os dois países. 
“Sem dúvida essa obra, fruto do compromisso do governo Bolsonaro, trará grandes ganhos para toda a América Latina, em especial para quem vive na fronteira”, afirmou Silva e Luna.

Material: Imprensa Itaipu

Postagens mais visitadas deste blog

Amigas de Das Graças promovem rifa de jóias em apoio ao trabalho e memória da colunista social e fotógrafa

Tudo começou ainda durante a pandemia. Com os trabalhos do filho Marco Antonio pautados em eventos e turismo, as dificuldades claro bateram na porta, e além da venda de um dos automóveis que a família tinha, algo mais precisava ser feito para quitar os compromissos e dívidas inerentes de um ano praticamente sem trabalho, em casa, Das Graças e seu filho Marco. Este grupo de amigas conta que mesmo em vida, Das Graças pensava em usar as joias para ajudar nas despesas domésticas e de saúde. No entanto, a saúde da colunista se agravou e sobreveio o internamento e a cirurgia.  Pensando em se desfazer de alguma forma de peças de joias que tinha enquanto presente nas festas de nossa sociedade, Das Graças acionou sua estimada amiga, Sílvia Rodrigues, para que a ajudasse na empreitada, o que foi de pronto atendida.  As joias -  As três peças que serão rifadas, eram relíquias da família  que ela ostentava nas grandes festas da sociedade que participava, ao longo da gloriosa carreira de colunismo

COLUNA SOCIAL Foz em Destaque - Edição CLXXX

DESTAQUE DO DIA

Postagens COLUNA SOCIAL - Edição CXCI

DESTAQUE DO DIA