Pular para o conteúdo principal

Jorge Samek recebe título de cidadão honorário de Marechal Cândido Rondon

Sessão solene em homenagem ao diretor-geral brasileiro de Itaipu ocorreu nesta quinta-feira (25). Honraria foi aprovada pela Câmara dos Vereadores do município.



O título de cidadão honorário a Samek foi aprovado por unanimidade pela Câmara dos Vereadores em agosto de 2010. Os autores do projeto foram os então vereadores Ito Rannov, Josoé Pedralli, Ilario Hofstaetter, Valdemir José Sonda, Albenice Pinto de Souza e Adriano Cottica.
O diretor-geral brasileiro de Itaipu, Jorge Samek, recebeu nesta quinta-feira (25) o título de cidadão honorário de Marechal Cândido Rondon, no Oeste do Paraná. A honraria foi entregue pelo presidente da Câmara de Vereadores do município, Ilario Hofstaetter, e pelo prefeito de Rondon, Moacir Luiz Froehlich.
A sessão solene convocada pela Câmara lotou o auditório da agência do Sicredi Costa Oeste e reuniu autoridades da cidade e da região – entre elas, o diretor de Coordenação de Itaipu, Nelton Friedrich, e o assistente Pedro Tonelli.
Samek agradeceu a homenagem e destacou o apoio que Itaipu recebe dos órgãos públicos de Rondon para os projetos socioambientais desenvolvidos na Bacia do Paraná 3 (BP3).
“Reitero aqui o meu respeito pela comunidade de Marechal Cândido Rondon, que é destaque no trabalho e que tem um dos maiores PIBs agrícolas do Estado e do País”, disse, de acordo com texto publicado pelo jornal O Presente.
“Este título de cidadão rondonense coloca mais energia no meu coração, para trabalhar ainda mais”, completou Samek.

Unanimidade
O título de cidadão honorário a Samek foi aprovado por unanimidade pela Câmara dos Vereadores em agosto de 2010. Os autores do projeto foram os então vereadores Ito Rannov, Josoé Pedralli, Ilario Hofstaetter, Valdemir José Sonda, Albenice Pinto de Souza e Adriano Cottica.
O decreto legislativo nº 4/2010 cita que a honraria é um reconhecimento "aos relevantes serviços prestados [por Samek] ao município e ao Estado do Paraná”.
Na época, o então presidente da Câmara, Ito Dari Rannov (PMDB), disse que homenagem foi concedida por “tudo o que ele [Samek] tem feito como cidadão, o que representa na política e pelos bons projetos que tem desenvolvido, como o Cultivando Água Boa”.
“Nunca, em tempo algum, uma diretoria de Itaipu pactuou tantos valores com Rondon”, afirmou o prefeito Moacir Froehlich. “A partir desta outorga, Samek passa a ser o mais novo rondonense”, completou.
Quando soube da homenagem, em 2010, Samek lembrou que um tio que foi o primeiro engenheiro agrônomo da cidade. “Com 10 ou 11 anos eu vim passar férias em Rondon e foi a primeira vez que me envolvi com o trabalho de engenharia agrônoma, visitando propriedades. E ali decidi a profissão que iria escolher”, disse. “Por isso, ser escolhido agora como filho de Rondon me tocou profundamente, na alma e no coração.”
Também em 2010, o diretor-geral brasileiro de Itaipu já havia recebido o título de Cidadão Honorário do Oeste do Paraná, concedido pela Associação dos Moradores do Oeste do Paraná (Amop) – entidade que representa 51 municípios e 1,2 milhão de habitantes.

Perfil
Nascido em Foz do Iguaçu e graduado engenheiro agrônomo pela Universidade Federal do Paraná (UFPR), em 1978, Jorge Samek exerceu diversos cargos públicos até assumir a Direção Geral Brasileira de Itaipu, em 2003.
Entre eles, foi secretário municipal de Abastecimento de Curitiba e presidente das Centrais de Abastecimento do Paraná (Ceasa-PR); chefe de gabinete da Secretaria Estadual de Agricultura do Paraná; e exerceu 14 anos de mandados sucessivos como vereador de Curitiba.


Na Itaipu, estimulou e participou da implantação de projetos importantes para a região, como os programas Cultivando Água Boa (CAB), Saúde na Fronteira, Coleta Solidária, Veículo Elétrico (VE) e a implantação do Parque Tecnológico Itaipu (PTI) e Universidade Federal da Integração Latino-Americana (Unila) – entre outros.

Postagens mais visitadas deste blog

COLUNA SOCIAL Foz em Destaque - Edição CLXXI

  DESTAQUE DO DIA

Amigas de Das Graças promovem rifa de jóias em apoio ao trabalho e memória da colunista social e fotógrafa

Tudo começou ainda durante a pandemia. Com os trabalhos do filho Marco Antonio pautados em eventos e turismo, as dificuldades claro bateram na porta, e além da venda de um dos automóveis que a família tinha, algo mais precisava ser feito para quitar os compromissos e dívidas inerentes de um ano praticamente sem trabalho, em casa, Das Graças e seu filho Marco. Este grupo de amigas conta que mesmo em vida, Das Graças pensava em usar as joias para ajudar nas despesas domésticas e de saúde. No entanto, a saúde da colunista se agravou e sobreveio o internamento e a cirurgia.  Pensando em se desfazer de alguma forma de peças de joias que tinha enquanto presente nas festas de nossa sociedade, Das Graças acionou sua estimada amiga, Sílvia Rodrigues, para que a ajudasse na empreitada, o que foi de pronto atendida.  As joias -  As três peças que serão rifadas, eram relíquias da família  que ela ostentava nas grandes festas da sociedade que participava, ao longo da gloriosa carreira de colunismo

COLUNA SOCIAL Foz em Destaque - Edição CLXXVIII

DESTAQUE DO DIA Aniversários