Pular para o conteúdo principal

Comunidade de Madri premia Itaipu por cuidados socioambientais

Representantes da Itaipu concluíram uma semana de agenda intensa nas cidades de Zaragoza e Madri, na Espanha, divulgando as ações sustentáveis da Itaipu, que acabam de obter o reconhecimento da Comunidade de Madri (equivalente ao Distrito Federal brasileiro) com o prêmio “Cumbres de Guadarrama”, em alusão ao parque nacional localizado próximo à capital e que é símbolo da conservação da natureza naquele país.

As ações socioambientais renderam mais um reconhecimento internacional à Itaipu. Nesta segunda-feira (19), a empresa receberá da Comunidade de Madri o prêmio Cumbres de Guadarrama, na categoria “Comportamento ambiental sustentável do setor empresarial”. Os candidatos ao prêmio foram avaliados por uma comissão de jornalistas, representantes da sociedade civil e especialistas em meio ambiente da Espanha.

O prêmio será entregue pelo presidente da Comunidade de Madri, Ignacio González, e pelo secretário de Meio Ambiente, Borja Sarasola, aos diretores de Coordenação e Meio Ambiente da Itaipu, Nelton Friedrich (Brasil) e Pedro Domaniczky (Paraguai).
Além da entrega do prêmio, os representantes da Itaipu irão se reunir com empresários de Madri (o principal centro empresarial do país) interessados em conhecer a experiência da Itaipu em diversos projetos de responsabilidade socioambiental, com destaque para o Programa Cultivando Água Boa (CAB), executado em parceria com 29 prefeituras da região Oeste do Paraná.
Outra prova do reconhecimento de Madri é que o governo local está adotando a metodologia de recuperação de microbacias hidrográficas do CAB nas áreas rurais próximas à capital espanhola.
 “Queremos dar mais sustentabilidade à agricultura e à pecuária que é praticada no entorno de Madri”, afirmou o vice-conselheiro de Meio Ambiente da prefeitura da capital espanhola, Enrique Ruiz, que participou do Encontro CAB no último mês de novembro. “Creio que o principal valor do CAB é unir as pessoas em torno da questão da água e do território”, completou.
O prêmio Cumbres de Guadarrama foi criado em 2014 e é composto de cinco categorias. Além de Itaipu, também serão premiados: o Parque Nacional Yosemite (EUA), na categoria “Parques naturais”; a empresa Duchy Originals, na categoria “Conservação da biodiversidade”; o chef José Ramón Andrés Puerta, na categoria “Projeto agroalimentício ou gastronômico”; e a prefeitura de Vitoria-Gasteiz, na categoria “Arquitetura ou urbanização sustentável”.
O programa
O Cultivando Água Boa (CAB) é um conjunto de diversos programas socioambientais da Itaipu e de mais de 2.200 parceiros. Os programas são executados nos 29 municípios que compõem a Bacia Hidrográfica do Paraná – Parte 3 (BP3), no Oeste do Paraná. Em cada município há um comitê gestor com forte participação popular, uma das principais características da iniciativa.
Entre as principais ações do programa estão a recuperação de microbacias hidrográficas e a educação ambiental nas comunidades do entorno do reservatório da Itaipu, além de iniciativas de apoio à agricultura orgânica e familiar, aquicultura (cultivo de peixes), comunidades indígenas, cooperativas de catadores de materiais recicláveis e cultivo de plantas medicinais, entre outros.

Passados 12 anos após a sua implantação na BP3 (uma região com aproximadamente um milhão de habitantes e 800 mil hectares de área), o programa já está em estado avançado em aproximadamente 30% desse território, resultando em 206 microbacias recuperadas.

Postagens mais visitadas deste blog

Amigas de Das Graças promovem rifa de jóias em apoio ao trabalho e memória da colunista social e fotógrafa

Tudo começou ainda durante a pandemia. Com os trabalhos do filho Marco Antonio pautados em eventos e turismo, as dificuldades claro bateram na porta, e além da venda de um dos automóveis que a família tinha, algo mais precisava ser feito para quitar os compromissos e dívidas inerentes de um ano praticamente sem trabalho, em casa, Das Graças e seu filho Marco. Este grupo de amigas conta que mesmo em vida, Das Graças pensava em usar as joias para ajudar nas despesas domésticas e de saúde. No entanto, a saúde da colunista se agravou e sobreveio o internamento e a cirurgia.  Pensando em se desfazer de alguma forma de peças de joias que tinha enquanto presente nas festas de nossa sociedade, Das Graças acionou sua estimada amiga, Sílvia Rodrigues, para que a ajudasse na empreitada, o que foi de pronto atendida.  As joias -  As três peças que serão rifadas, eram relíquias da família  que ela ostentava nas grandes festas da sociedade que participava, ao longo da gloriosa carreira de colunismo

COLUNA SOCIAL Foz em Destaque - Edição CLXXX

DESTAQUE DO DIA

Postagens COLUNA SOCIAL - Edição CXCI

DESTAQUE DO DIA