Pular para o conteúdo principal

ITAIPU BINACIONAL RECEBE VISITA REAL DA PRINCESA BENEDIKTE DA DINAMARCA

Princesa Benedikte, da Dinamarca, visita a usina de Itaipu
Representante da família real dinamarquesa veio ao Paraná para inaugurar instituto de cunho social, com sede em Curitiba. Na Itaipu, ela foi recebida pelo diretor-geral brasileiro, general Joaquim Silva e Luna
Nesta tarde de quinta-feira (24), a princesa dinamarquesa Benedikte Astrid Ingeborg Ingrid esteve pela primeira vez na Itaipu Binacional, em Foz do Iguaçu (PR). “Estou maravilhada e muito impressionada com a hidrelétrica. Devo dizer que nunca vi nada parecido. O trabalho de engenharia que foi desenvolvido aqui é genial”, afirmou a princesa, depois de fazer uma visita técnica à área industrial da usina. Ela foi acompanhada pela secretária executiva da Diretoria Geral Brasileira, Rosimeri Fauth Ramadas Martins, durante o tradicional plantio no Bosque dos Visitantes.
Antes, ela foi recebida no Centro Executivo da Itaipu pelo diretor-geral brasileiro, general Joaquim Silva e Luna. A princesa entregou ao general uma medalha alusiva à criação do Instituto Princesa Benedikte, com sede em Curitiba, e voltado ao atendimento de crianças e adolescentes. O diretor foi uma das 12 autoridades brasileiras contempladas com a honraria.
A representante da família real dinamarquesa também entregou ao general um presente especial: uma porcelana real de Copenhague contendo o monograma da princesa. “Esta é uma lembrança que guardarei com muito carinho”, afirmou Silva e Luna. 
“A área social é uma das principais responsabilidades da Itaipu. Por isso, estamos muito honrados com a sua presença no Brasil por esse motivo tão nobre que é ajudar crianças em situação de vulnerabilidade”, completou o general, que entregou à princesa uma obra da artista Vanessa Oliveira, de Foz do Iguaçu, inspirada na Árvore da Vida, da tradição Guarani.
A princesa Benedikte explicou que incluiu Itaipu em seu roteiro no Brasil, pois gostaria de conhecer essa “maravilha do mundo moderno”. Ela foi a quarta integrante da família real dinamarquesa a visitar a usina e, assim, como seus antecessores (a rainha Margrete II e os príncipes Henrick e Frederik), também plantou uma árvore (uma pitangueira) no Bosque dos Visitantes. 
O instituto
O Instituto Princesa Benedikte, com sede em Curitiba e inaugurado na última terça-feira (22), abrigará crianças e adolescentes da Associação Caminhos da Vida – Lar Dona Vera, entre zero e dez anos, retiradas da guarda dos pais pela Justiça, vítimas de maus-tratos, violência sexual ou outras vulnerabilidades.
No espaço, o instituto vai oferecer aulas de natação, futebol e balé, além de frequência diária na creche ou escola local com cuidados de assistentes sociais, psicólogas, terapeutas ocupacionais e nutricionistas.
Este é o primeiro projeto social dinamarquês no Brasil e está localizado na Rua Pedro Mossoline Gasparin, no bairro Santa Felicidade, na capital paranaense. Na segunda-feira (21), a princesa esteve em São Paulo, onde visitou a Fundação Dorina Nowill para Cegos, na Vila Clementino, Zona Sul da capital paulista. Lá ela conheceu um projeto de ensino pedagógico que utiliza peças de lego para alfabetização em braile. 
FONTE ASSESSORIA DE IMPRENSA DA ITAIPU - As fotos Rubens Fraulini/Itaipu Binacional





Postagens mais visitadas deste blog

COLUNA SOCIAL Foz em Destaque - Edição CLXXI

  DESTAQUE DO DIA

Amigas de Das Graças promovem rifa de jóias em apoio ao trabalho e memória da colunista social e fotógrafa

Tudo começou ainda durante a pandemia. Com os trabalhos do filho Marco Antonio pautados em eventos e turismo, as dificuldades claro bateram na porta, e além da venda de um dos automóveis que a família tinha, algo mais precisava ser feito para quitar os compromissos e dívidas inerentes de um ano praticamente sem trabalho, em casa, Das Graças e seu filho Marco. Este grupo de amigas conta que mesmo em vida, Das Graças pensava em usar as joias para ajudar nas despesas domésticas e de saúde. No entanto, a saúde da colunista se agravou e sobreveio o internamento e a cirurgia.  Pensando em se desfazer de alguma forma de peças de joias que tinha enquanto presente nas festas de nossa sociedade, Das Graças acionou sua estimada amiga, Sílvia Rodrigues, para que a ajudasse na empreitada, o que foi de pronto atendida.  As joias -  As três peças que serão rifadas, eram relíquias da família  que ela ostentava nas grandes festas da sociedade que participava, ao longo da gloriosa carreira de colunismo

COLUNA SOCIAL Foz em Destaque - Edição CLXXVIII

DESTAQUE DO DIA Aniversários