Pular para o conteúdo principal

"POETA ALICE" e "MEU CORAÇÃO DE POLACO VOLTOU", em cartaz no ECOMUSEU de ITAIPU


Compartilhe fotos no facebook: https://www.facebook.com/pg/fozemdestaque/photos/?tab=album&album_id=1714536865228692

Música, poesia e valorização feminina marcaram a abertura das duas novas exposições do Ecomuseu, Poeta Alice, de Alice Ruiz, e Meu Coração de Polaco Voltou, de Paulo Leminski, na noite desta quarta-feira (8), Dia Internacional da Mulher, em Foz do Iguaçu (PR). 

Poeta Alice, de Alice Ruiz, chama a atenção sobre a importância do empoderamento feminino. Fã da artista desde os tempos da adolescência, o diretor-geral brasileiro, Jorge Samek, destacou que, independentemente de ser mulher, Alice conquistou, pelos seus méritos, um lugar de destaque nas letras brasileiras nas últimas décadas, inclusive ganhando dois prêmios Jabuti, “o Oscar da literatura brasileira”, nas palavras do DGB. "Alice está recebendo o reconhecimento justo e merecido", disse.

De Foz para o mundo
As curadoras das exposições são Aurea e Estrela Leminski, filhas do casal Alice e Leminski. Para elas e também para a própria artista, o Ecomuseu pode ser um passaporte para o mundo. De acordo com a dupla, Poeta Alice deverá repetir a rota de Múltiplo Leminski, que passou pelo museu da Itaipu em 2013, fazendo sucesso retumbante. “A obra de Leminski só tinha sido exposta em Curitiba, mas depois do Ecomuseu não parou mais. Está em sua oitava cidade. Acredito que o mesmo acontecerá com Poeta Alice”, afirmou Aurea. “A mágica começa por Foz.”

Melhor forma
Poeta Alice é dividida em quatro partes: feminismo, música, poesia e haikai. Uma retrospectiva da carreira de Alice que, aos 71 anos, disse estar em sua melhor forma. “A insatisfação e a paixão pela poesia é o que me mantêm ativa. Tenho juventude acumulada. A paixão pelo novo faz com que a gente não envelheça.”

As obras apresentam três expressões artísticas que, na visão da autora, constituem gêneros literários bastante distintos e independentes: o haikai, a poesia ocidental em papel e as letras de músicas, muitas das quais resultaram em parcerias com diversos artistas.

Coração de polaco
Foi aberta também a exposição Meu Coração de Polaco Voltou, que revela as origens e as influências polonesas na obra de Paulo Leminski. A mostra marca o retorno da obra do curitibano ao Ecomuseu, onde bateu todos os recordes de visitação, em 2013, com Múltiplo Leminski.

Em Meu Coração de Polaco Voltou os assuntos são divididos por temas. A mostra é composta por painéis, com cerca de 40 peças originais: fotos do acervo particular, livros e documentos do artista. Também será exibido o documentário Vida e Sangue de Polaco, do premiado diretor Sylvio Back, no qual Paulo Leminski faz um depoimento sobre sua descendência polonesa. “Múltiplo Leminski mostrava as suas várias facetas. Agora, o enfoque é a sua origem”, disse Aurea.

Serviço:
Exposições Poeta Alice, de Alice Ruiz, e Meu Coração de Polaco Voltou, de Paulo Leminski.
Em cartaz até 30 de setembro de 2017, no Ecomuseu da Itaipu (Av. Tancredo Neves, 6001 – Foz do Iguaçu, PR).
O Ecomuseu está aberto de terça-feira a domingo, das 8h às 17h.
Ingresso: R$ 12 (moradores dos municípios lindeiros ao lago de Itaipu não pagam entrada).

Mais informações: www.turismoitaipu.com.br.

Texto: Assessoria de Imprensa Itaipu Binacional

Postagens mais visitadas deste blog

COLUNA SOCIAL Foz em Destaque - Edição CLXXI

  DESTAQUE DO DIA

Amigas de Das Graças promovem rifa de jóias em apoio ao trabalho e memória da colunista social e fotógrafa

Tudo começou ainda durante a pandemia. Com os trabalhos do filho Marco Antonio pautados em eventos e turismo, as dificuldades claro bateram na porta, e além da venda de um dos automóveis que a família tinha, algo mais precisava ser feito para quitar os compromissos e dívidas inerentes de um ano praticamente sem trabalho, em casa, Das Graças e seu filho Marco. Este grupo de amigas conta que mesmo em vida, Das Graças pensava em usar as joias para ajudar nas despesas domésticas e de saúde. No entanto, a saúde da colunista se agravou e sobreveio o internamento e a cirurgia.  Pensando em se desfazer de alguma forma de peças de joias que tinha enquanto presente nas festas de nossa sociedade, Das Graças acionou sua estimada amiga, Sílvia Rodrigues, para que a ajudasse na empreitada, o que foi de pronto atendida.  As joias -  As três peças que serão rifadas, eram relíquias da família  que ela ostentava nas grandes festas da sociedade que participava, ao longo da gloriosa carreira de colunismo

COLUNA SOCIAL Foz em Destaque - Edição CLXXVIII

DESTAQUE DO DIA Aniversários