NOVA DIRETORIA ITAIPU PARAGUAI E DIRETORIA BRASIL SE ENCONTRAM PELA 1.ª VEZ

Diretoria de Itaipu afinada: brasileiros e paraguaios recém-empossados começam trabalho já alinhados

 Posse da nova diretoria paraguaia foi na manhã desta quinta-feira (16), em Assunção. À tarde, grupo se reuniu com os pares brasileiros no Edifício da Produção da usina binacional.

Depois de tomar posse na manhã desta quinta-feira (16), em Assunção, os novos diretores paraguaios da Itaipu Binacional tiveram a primeira reunião com os pares brasileiros, no período da tarde, no Edifício da Produção da usina. O encontro amistoso deu o tom de como deverá ser a gestão binacional: alinhada.

A cerimônia de posse dos diretores paraguaios ocorreu um dia depois de o novo presidente Mario Abdo Benítez assumir o governo. Em seu discurso, Marito, como é conhecido, defendeu a soberania energética e a integração entre os dois países sócios da usina de Itaipu.

Nova equipe


Foram nomeados José Alberto Alderete Rodríguez (diretor-geral paraguaio), Monica Luján Perez dos Santos (diretora financeira), Iris Magnolia Mendoza Balmaceda (diretora jurídica executiva), Miguel Ángel Gómez Acosta (diretor de coordenação executivo) e Alberto Cabrera Villalba (diretor administrativo executivo). José María Sánchez Tillería foi mantido no cargo como diretor técnico.

Pela primeira vez, o Paraguai nomeia duas mulheres para compor a diretoria de Itaipu, da margem direita. Entre elas, Iris Magnolia, empregada do quadro próprio de Itaipu.

Para o diretor-geral brasileiro, Marcos Stamm, a expectativa é “a manutenção de um trabalho que está consagrado, que vem dando certo, de continuar a gestão da maior geradora de energia do mundo, sempre preocupada com o desenvolvimento regional sustentável, por meio de iniciativas socioambientais, em consonância com as diretrizes dos dois governos, mas sem deixar de observar seu compromisso essencial, que é a geração de energia para o Brasil e Paraguai”.

O novo DGP, José Alberto Alderete Rodríguez, lembrou que “para o Paraguai, Itaipu é o principal ativo, e sabemos que para o Brasil também é muito importante”. “Quando defendemos nossos interesses, temos que saber que do outro lado também há interesses próprios”, disse. “Estamos aqui para fortalecer ainda mais essa entidade e, aos colegas brasileiros, contêm conosco para fazermos isso juntos”, completou.

Primeira coletiva


Em coletiva à imprensa, o novo DGP agradeceu a confiança do presidente paraguaio em nomeá-lo. “Estar aqui não é uma mera casualidade. Deus nos dá a cada ano novos desafios e espera que nós possamos trabalhar para honrá-lo, assim como nosso país, nosso presidente e fortalecer, neste caso, a entidade binacional”. Ele também agradeceu o trabalho dos ex-diretores e ressaltou a importância do esforço de cada empregado pelo ativo econômico e social de Itaipu, resultado do empenho de cada integrante do quadro funcional.
Alderete também adiantou que uma das prioridades em sua gestão será a renegociação do Anexo C do Tratado de Itaipu, que expira em 2023. O Anexo C trata das bases financeiras da prestação dos serviços de eletricidade.

“O presidente da República vai formar uma seleção nacional onde estarão representados todos os segmentos da sociedade. Sendo Itaipu o maior patrimônio, o maior ativo do Paraguai”, disse, referindo-se ainda à questão do Anexo C.

Participaram da solenidade de posse da diretoria paraguaia o vice-presidente da República, Hugo Velázquez; os presidentes do Congresso Nacional, Silvio Ovelar, e da Câmara de Deputados, Miguel Cuevas, e o ministro de Obras Públicas e Comunicações, Arnoldo Wiens.

Também prestigiaram a posse, no hall principal do Edifício Itaipu, em Assunção, o presidente da Administración Nacional de Electricidad (Ande), Pedro Ferreira; o deputado Roberto González; e membros do Conselho da Entidade, da margem direita. Participaram ainda o ex-diretor geral paraguaio, James Spalding, empregados e empregadas e representantes da imprensa paraguaia.

Crédito das fotos: Nilton Rolin / Itaipu Binacional